O prefeito de Anchieta, Fabrício Petri, se reuniu ontem (13) com um grupo de empresários da construção civil da cidade. A pauta foi agendada para discutir sobre o retorno das atividades operacionais da Samarco, inclusão do município na Fundação Renova e ações em Parceria Público-Privado (PPP).

Durante a conversa, o prefeito ouviu os empresários e apresentou o que a administração vem fazendo para amenizar a pior crise financeira que o município vem enfrentando. Na ocasião, foi criado um grupo de trabalho, composto por empresários e representantes do poder público, com a finalidade de buscar uma agenda junto à Samarco e a Fundação Renova, a fim de apresentar o potencial existente em Anchieta para atrair novos empreendimentos e investimentos.

Durante a reunião foram apresentadas sugestões para amenizar a crise financeira que Anchieta enfrente, incentivar o empreendedorismo e gerar emprego e renda.

Os participantes elogiaram a atuação da Prefeitura no que diz respeito aos serviços de orientação aos possíveis investidores e empreendedores, mas solicitaram a criação de um espaço exclusivo para atender esse público com mais agilidade.

Outra questão, levantada pelos empresários, foi sobre a criação de ações em Parceria Público-Privado. Petri aproveitou para falar que o projeto de lei já foi elaborado e está sob análise da Procuradoria Municipal e em breve será encaminhada à Câmara de Vereadores para apreciação.

Segundo o prefeito, esses encontros são fundamentais para estabelecer uma união entre o poder público e a sociedade, em busca de soluções para a coletividade. “Estamos sempre nos reunindo para ouvir sugestões que venham ao encontro de iniciativas para amenizar a crise financeira que estamos enfrentando, como tanbém gerar emprego e renda para nossas famílias”, esclarece Petri.

Entenda:

Parcerias público-privadas, as famosas PPPs, são acordos entre os setores público e privado para a realização conjunta de determinado serviço ou obra de interesse da população. Em uma PPP, a empresa normalmente fica responsável pelo projeto, assim como seu financiamento, execução e operação. O Estado, em contrapartida, paga a empresa de acordo com o desempenho do serviço prestado. Uma vez vencido o contrato, tudo o que foi construído é do governo. 

A Fundação Renova tem a missão de implementar e gerir os programas de reparação, restauração e reconstrução das regiões impactadas pelo rompimento da barragem de Fundão, localizada no subdistrito de Bento Rodrigues, em Mariana, Minas Gerais. Os programas, previstos no Termo de Transação de Ajustamento de Conduta (TTAC), estão reunidos em duas principais frentes: socioambiental e socioeconômica.