De acordo com o relatório de Cobertura de Coleta e Tratamento de Esgoto, divulgado pela Cesan em agosto de 2017, Guarapari possui atualmente 114.600 habitantes na zona urbana. Desse quantitativo, 79.900 habitantes possuem acesso ao serviço de coleta e tratamento de esgoto, o que corresponde a 69,7% de cobertura no município.

Nesta área são 70.200 habitantes já ligados à rede da Cesan, o que significa 61,3%. Nos últimos três meses, foram 1996 imóveis ligados à rede de esgotamento e juntas evitaram que mais de 790 mil litros de esgoto fossem jogados, por dia, no meio ambiente.

70.200 habitantes já ligados à rede da Cesan, o que significa 61,3%.

A Secretaria Municipal de Meio Ambiente (SEMA) realizou várias ações, desde o início do ano, a fim de promover a sensibilização da sociedade acerca do lançamento clandestino de esgotamento sanitário e seus respectivos impactos ao meio ambiente e a saúde humana.

Um mapeamento do município foi feito para que as ações fiscais começassem a ocorrer de fato. Foram iniciados os trabalhos pelo bairro Praia do Morro, o qual possui 100% de rede coletora de esgotamento sanitário, implantado pela Cesan.

A estação de tratamento de esgoto

Foram inúmeras visitas in loco realizadas pela fiscalização ambiental da SEMA, gerando aproximadamente 186 notificações, sendo que, 52 imóveis foram autuados e o valor de cada auto de infração foi de oito mil reais.

“O resultado é fruto do trabalho de uma equipe comprometida, uma vez que, não é mais cabível a existência de imóveis não interligados a rede coletora de esgoto e lançando seus dejetos tratados ou não nos rios e mares, onde é ofertado o serviço. Nosso trabalho continua, junto com a Cesan, na busca de ampliar o número de imóveis ligados corretamente a rede de esgotamento sanitário”, afirmou a secretária de Meio Ambiente, Christina Barros.

O trabalho de conscientização e fiscalização vai continuar, uma vez que, na área urbana temos 9.700 habitantes que não possuem o serviço o serviço disponível, mas não utilizam. “É preciso que a população se conscientize de que isso significa ainda uma quantidade muito grande de esgoto que não vem sendo tratado e consequentemente vem poluindo nossa cidade. Essas pessoas serão notificadas e se não fizerem o serviço serão autuadas e poderão responder por crime ambiental”, afirmou a secretária.

As áreas que não possuem o serviço de coleta e tratamento de esgoto também estão sendo orientadas para que todos os imóveis adotem um sistema de tratamento convencional de efluentes, até que seja disponível essa rede coletora de esgotamento sanitário.

*Com informações da Prefeitura de Guarapari

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here