A Praia de Bacutia perdeu a chance de concorrer ao Bandeira Azul, um certificado internacional de turismo. A praia havia iniciado o processo de inserção nesta certificação em 2015, e teria até 2017 para se adequar à algumas normas, para então poder entrar na disputa do certificado. Mas essas obras não chegaram a ser feitas.

A presidente da Associação de Moradores de Enseada Azul (Amezul), fala que em 2015 houve uma parceria entre a associação e a prefeitura, na gestão passada, que havia mostrado interesse de que o balneário recebesse essa certificação “Partiu da associação a intenção de buscar a Bandeira Azul para Bacutia, apresentamos para a prefeitura, que comprou a ideia. Algumas taxas inclusive foram pagas pela prefeitura na época, para que a Bacutia pleiteasse essa vaga. Os técnicos vieram para cá e listaram uma série de adequações que a prefeitura teria que fazer para que conseguíssemos disputar o certificado”, diz Inês.

Bacutia chegou a pleitear uma vaga para concorrer ao Bandeira Azul, mas por falta de investimentos foi impedida de disputar.

De acordo com a presidente da Ameazul, a comissão avaliadora deu o prazo de 2 anos para que as adequações fossem feitas, como colocar duchas e banheiros na praia, proibir a comercialização de produtos por ambulantes, ter presença de guarda-vidas, o balneário teria que se adequar à todas as normas ambientais, entre outros ajustes. Mas prazo foi atingido, e nenhuma medida foi tomada.

O Bandeira Azul é uma certificação de turismo reconhecida internacionalmente.

“Não basta só a associação querer que Bacutia receba o certificado, várias adequações tinham que ser feitas para que a praia se enquadrasse nas normas da Bandeira Azul, mas a associação sozinha não consegue e nem tem poder para isso. A gestão da prefeitura mudou e parece que não houve mais interesse no projeto”, relata Inês.

Para a presidente da associação, outro fator decisivo para que a praia perdesse a chance à vaga foi a construção de um condomínio próximo à praia, que para ela, atinge as normas ambientais exigidas pela certificação internacional de turismo. “Ocorreu um grande desmatamento em área preservada no Morro de Bacutia, ferindo as normas de preservação ambiental. O que contribuiu para que perdêssemos a chance de concorrer a bandeira Azul”, fala a presidente da Ameazul.

Inês fala ainda, que essa certificação seria um título importante não só para Bacutia, mas também para cidade. “Somente seis praias no Brasil têm a Bandeira Azul, seria uma conquista importante para Guarapari, atrairia turistas até internacionais que só visitam praias que têm a Bandeira. E Bacutia tem o potencial natural para isso, uma pena não ter recebido investimento”, conclui Inês.

O Portal 27 procurou a prefeitura, que através de nota disse que mesmo não podendo mais concorrer à Bandeira Azul, pretende dar inicio as obras no local. “A Secretaria Municipal de Esporte, Cultura e Turismo (SECTUR) informa que algumas melhorias estão sendo estudadas pela prefeitura. É preciso levar em consideração que toda obra deve ser licitada e existe um trâmite a ser seguido. Um diálogo tem sido mantido com a AMEAZUL e inclusive uma visita técnica já foi realizada na região.
A SEMOP informa que já está no cronograma de serviços uma operação de manutenção e melhoria dos acessos a praia de Bacutia”, explicou a prefeitura, através de nota.

Comments are closed.