A data 26 de fevereiro de 2020 ficou marcada na história do país como o dia no qual foi constatado o primeiro brasileiro confirmado com a covid-19. Hoje, exatamente um ano depois, o sistema de saúde de 5 estados entrou em colapso, capitais de outros também avisam perigo iminente, em um dia morreram 1.582 pessoas e ao todo o país já teve 250 mil óbitos.

Estes foram os números divulgados hoje pelo consórcio de veículos de imprensa, que coleta os dados diretamente com as secretarias estaduais de saúde. O momento que o país enfrenta é o pior desde o começo da pandemia, e de acordo com estudos, para sair controlar esta situação em um ano, devem ser vacinados uma média de 2 milhões de brasileiros por dia, hoje o número varia de 100 a 200 mil.

O estudo referente a isto foi apresentado pela Universidade Federal de Juiz de Fora (UFJF), pelo professor Rodrigo Weber, e indica que, caso siga no mesmo ritmo de hoje, a pandemia irá durar ainda 2 anos no país.

País atingiu 250 mil mortos durante a pandemia, especialistas atribuem aumento na média diária de mortes ao Carnaval.

Colapso na saúde

Até o momento, 5 estados avisaram ao Governo Federal e a população que os sistemas de saúde colapsaram. Foram eles, Santa Catarina, Rondônia, Rio Grande do Sul, Bahia e Rio Grande do Norte. As mensagens, por mais diferentes que fossem, sempre carregavam o mesmo sentido, “entramos em colapso, não há vagas nem leitos de UTI”.

Além destes estados, algumas capitais também avisaram que estão próximas do caos na saúde, como fizeram Curitiba, Salvador e Fortaleza, onde os hospitais estão cheios e os leitos ocupados, em Manaus, pacientes morreram sem oxigênio.

Maior média diária de óbitos

Outro ponto importante que favoreceu a chegada do Brasil nesta situação crítica foi a alta média diária de mortes, ontem o país registrou a maior desde o começo, com 1.582 óbitos decorrentes da doença. Segundo alguns especialistas, um dos motivos para essa taxa tão alta foram as aglomerações de Carnaval.

250 mil mortos pela doença

Outro marco triste atingido pelo Brasil foi o alto número de mortos pela covid-19, seguindo o caminho contrário de outros países, onde os níveis de contaminação e morte pela doença estão abaixando, o país registrou 250 mil brasileiros que morreram devido ao coronavírus.

Caminho para melhorias

Ministro reconheceu gravidade da pandemia, afirmando que está contaminando três vezes mais.

No entanto, nem todas as notícias são ruins, atualmente, o ministro da saúde, Eduardo Pazuello, reconheceu a situação pela qual o país passa e comentou que “a contaminação está três vezes maior”. Porém, com a aprovação da Anvisa de mais lotes de vacinas, como a Pfizer, que obteve registro definitivo, a expectativa é de que a situação melhore e mais brasileiros possam ser imunizados por dia.

Caso aumente a taxa de pessoas vacinadas por dia, como fez Israel, o Brasil pode evitar mais mortes e conseguir retornar ao normal ainda neste ano, com comércios abertos e saúde em dia.

Atualmente apenas 3,55% da população está vacinada, no entanto os estados que realizarem a imunização em massa serão os que participarão do teste da imunidade de rebanho e, caso aprovado, servirão de exemplo para o restante do país.

Vale lembrar que, mesmo com o alto número de mortes, o Brasil atingiu a marca de 9.264.696 pessoas curadas da doença e já conseguiu vacinar uma média de 5 milhões de brasileiros.

Deixe seu comentário