Em apenas três meses 5.898 pessoas passaram a ter rede coletora de esgoto em suas residências, em Guarapari.  Ou seja, 1.996 casas agora não jogam mais esgoto na rede pluvial nem em fossas. Com essa adesão, por dia 790 mil litros de esgoto pararam de ser despejados no meio ambiente. 

A informação é da  secretária de Meio Ambiente e Agricultura (Semag), Thereza Christina. “Quando intensificamos a ação de notificação e multa, em abril, isso gerou uma média de 790 mil litros de esgoto por dia que deixaram de ir para o meio ambiente e foi para o lugar certo para ser tratado”.

Scretária de Meio Ambiente e Agricultura, Thereza Christina

Segundo ela, antes 64.302 habitantes não tinham o serviço em suas residências. A secretária revelou que com a mudança ainda falta cerca de dez mil habitantes se adequaram.“Guarapari tem 114.600 habitantes no perímetro urbano. Deste total, 79.900 possui o serviço de coleta de esgoto na sua porta. Isso corresponde a 69.7% do município. Mas desses 79.900, 70.200 habitantes é que jogam seu esgoto na rede coletora. Os outros 9.900 jogam na rede pluvial e está indo para o mar. Meu foco hoje é mudar isso”.

A secretária afirmou que na Praia do Morro a rede de esgoto já cobre 100% do bairro, mas mesmo assim muitas casas não usavam o serviço e foram notificadas. “Os habitantes tinham o serviço de coleta, mas jogam o esgoto na rede pluvial que ia para a praia, para o mangue e para os córregos. Então começamos a notificar os imóveis que a Cesan estava sinalizando para a gente que tinham o serviço de coleta e não eram ligados a ele e chegamos a fazer 186  notificações na Praia do Morro e adjacências”.

E continuou. “Dessas 186, 184 atenderam e ligaram as casas a rede coletora. As 52 que não atenderam a notificação nós geramos um auto de infração no valor de R$ 8 mil. Quando intensificamos a ação de notificação e multa, em abril, isso gerou uma média de 790 mil litros de esgoto por dia que deixaram de ir para o meio ambiente e foi para o lugar certo para ser tratado”.

De acordo com ela, os outros 31% das casas que não possuem rede coletora da Cesan estão localizados nos bairros Meaípe, Nova Guarapari, Santa Mônica, Santa Rosa e Jardim Europa. Mas para ela isso não pode ser usado como desculpa para poluir o meio ambiente. “Isso não justifica a pessoa jogar o esgoto na rua ou na rede pluvial. Ela tem que ter fossa filtro sumidouro”.

Thereza Christina disse ainda que em breve Meaípe vai ser ligada à rede de esgoto do município. “Existe um recurso na Caixa Econômica de mais de R$ 500 milhões. Desse aí R$ 87 milhões é para a região de Meaípe”.

Esgoto a céu aberto. Na tarde desta terça-feira (23) fiscais da Secretaria Municipal de Meio Ambiente e Agricultura (Semag) estiveram na rua Aquários, em Santa Mônica para tentar descobrir quem são os responsáveis por um esgoto a céu aberto na região.

A secretária da Semag, Thereza Christina explicou que a ação fiscalizatória partiu de uma denúncia. “Recebemos uma denúncia de que na rua Aquários tem esgoto sendo jogado a céu aberto na rua. Mandamos a fiscalização lá esses dias e como estava seco não foi possível fazer nada. Hoje nós voltamos lá novamente para tentar descobrir. O próximo passo é fazer uma ação junto da Secretaria de Obras para destapar o cano e chegar até a casa onde ele está e assim fazer uma notificação dando 20 dias para o proprietário fazer uma fossa de filtro sumidouro no local”.  

Veja o vídeo do esgoto vazando pela rua Aquários, em Santa Mônica:

Comments are closed.