A Câmara Municipal de Guarapari aprovou na terça feira (15), o pedido de criação de uma Comissão Especial de Investigação, para apurar possíveis irregularidades na aplicação de recursos públicos em algumas obras da cidade.

A comissão, chamada também pelos vereadores de “CPI”, foi pedida pela vereadora Paulina Aleixo (PP) e aprovada por 7 votos a 5, com 180 dias para apurar essas possíveis irregularidades. “Venderam o almoxarifado e não prestaram contas de quanto gastou; quanto ainda tem e as obras estão paradas, com material todo desperdiçado. O dinheiro público está ali, outras obras também estão paralisadas. Nós queremos saber, eu sei que não é bom para o prefeito, mas ele vai se explicar”, disse Paulina a imprensa.

DSC06710
Paulina: “Nós queremos saber, eu sei que não é bom para o prefeito, mas ele vai se explicar”. Foto Wilcler Lopes

Em entrevista ao Portal27, o presidente da Câmara, Wanderlei Astori (PDT), afirmou que a CPI quer apenas investigar os fatos. “Vamos fiscalizar as obras. Não é para cassar e nem afastar prefeito. Não é o que a gente quer saber. Nós queremos saber a verdade. Fomos eleitos para mostrar a verdade para a população de Guarapari. É isso que essa comissão vai fazer eu vou acompanhar de perto”, disse.

Liderança. Além de ter que enfrentar uma CPI, o prefeito Orly Gomes (DEM), teve outra baixa na terça feira.  O vereador Anselmo Bigossi (PTB), deixou a liderança do prefeito na Câmara.

De acordo com ele, o motivo foi á diferença de pensamentos. “Nada contra os vereadores ou contra a administração em si. Mas eu peso essa decisão em cima de poder ter um tempo maior para estar exercendo o meu mandato e as minhas obrigações e dar uma atenção a minha família. E também não posso esconder por desencontro de entendimentos, em alguns momentos com o poder executivo, principalmente no que pesa sobre a decisão com relação aos ambulantes”, disse ele se referindo ao projeto da PMG que tirou os vendedores ambulantes das ruas da  cidade.

Outro vereador ouvido pelo Portal27, mas que preferiu não se identificar, a relação Câmara x Prefeitura não anda bem.  “Não vai ser fácil o prefeito arrumar um novo líder dentro da Câmara. Ninguém quer pegar este cargo na atual situação. O clima está quentíssimo”, disse.

DSC06724
Anselmo deixa a liderança alegando desencontro de entendimentos. Foto Wilcler Lopes

Resposta. Sobre a CPI, procuramos a prefeitura que nos respondeu através da assessoria que “A Prefeitura ainda não foi notificada sobre referida Comissão”.

Obra da nova sede está paralisada

A obra da nova sede da prefeitura de Guarapari, às margens da Rodovia Jones dos Santos Neves, na altura do bairro Lagoa Funda, está parada e a prefeitura não deu prazo de quando irá retomar os trabalhos.

O local está cheio de escoras, vergalhões e muito material de construção espalhados pelo chão. Não há nenhum funcionário trabalhando.

Na última terça-feira foi criada na Câmara Municipal de Vereadores uma Comissão Especial de Investigação com o objetivo de apurar possíveis irregularidades na aplicação dos recursos públicos, na realização de obras  feitas pela administração municipal.

 A comissão foi solicitada pela vereadora Paulina Aleixo Pinna (PP), por meio do requerimento 458/2013 e vai funcionar pelo prazo de 180 dias.

O relator da Comissão, vereador Germano Borges (PSB), informou que uma das obras que será apurada é a construção da nova sede da prefeitura, que segundo ele, está parada há cerca de um ano. “Essa é uma obra milionária, tem muito material estragando no local, sem contar os que foram levados. Esta parada há muito tempo. É preciso analisar”, disse Germano.

DSC06691
Germano: “Essa é uma obra milionária, tem muito material estragando no local “. Foto Wilcler Lopes

O projeto da obra da nova sede da prefeitura contemplará todas as secretarias municipais exceto a de educação que tem sede própria. Haverá ainda estacionamento, refeitório, sala de reuniões.

A proposta de construir a nova sede surgiu em 2009, quando o ex-prefeito Edson Magalhães (DEM), anunciou o plano de iniciar a construção com a verba da venda do almoxarifado da prefeitura, ocorrida em maio de 2009.

O imóvel onde funcionava o almoxarifado fica localizado às margens da Rodovia do Sol, no bairro Aeroporto, numa área de mais de 2.343 metros quadrados. A venda foi estimada em R$ 4,5 milhões.

De lá para cá, a nova sede da prefeitura começou a ser construída, porém, a obra está apenas com colunas construídas e vergalhões à mostra.

Não há no local nenhuma placa com informações sobre a data de início ou previsão de conclusão dos serviços, e nem sobre os custos da obra.

O que diz a prefeitura

A Prefeitura de Guarapari informou por nota, que a obra da nova sede municipal está temporariamente paralisada, porque o contrato com a empresa de engenharia, que estava responsável pela obra foi encerrado a pedido da administração municipal.

Disse ainda que está sendo feito o levantamento de custos para a abertura de novo processo licitatório para retomar a obra

Por Wilcler Carvalho Lopes e Rosimara Marinho

Deixe seu comentário