O Espírito Santo é o estado do Brasil com o maior índice de fiscalização nos abates de bovinos para atender a produção de carne. Segundo a pesquisa do Centro de Estudos Avançados em Economia Aplicada (Cepea), da Esalq/USP, apenas 4,1% dos abates realizados em território capixaba não são fiscalizados. Em segundo lugar, vem o Mato Grosso do Sul, com 4,8%.

“Nossos objetivos são zerar os abates clandestinos para dar segurança alimentar para a população e legalizar os empreendimentos que criam, abatem e comercializam carne bovina, que é uma das mais importantes fontes de proteína animal na dieta dos capixabas e brasileiros”, destaca o secretário de Estado da Agricultura, Enio Bergoli.

No Espírito Santo existem 14 abatedouros de bovinos com serviços de inspeção, seja Federal, Estadual ou Municipal.
No Espírito Santo existem 14 abatedouros de bovinos com serviços de inspeção, seja Federal, Estadual ou Municipal.

Ainda segundo o Cepea, Minas Gerais com 15,2% dos abates sem fiscalização, é o estado brasileiro com maior índice. Ao todo, o abate de gado sem fiscalização no Brasil representa menos de 10%.

O estudo abrangeu os estados de São Paulo, Minas Gerais, Rio de Janeiro e Espírito Santo, no Sudeste, Tocantins e Pará, na região Norte, Paraná, Santa Catarina, Rio Grande do Sul, no Sul, Bahia (Nordeste) e Mato Grosso do Sul, Mato Grosso, Goiás e também o Distrito Federal, no Centro-Oeste.

No trabalho, os pesquisadores usaram como base os dados o total de animais vacinados na segunda etapa da campanha de vacinação contra a febre aftosa de 2012, as Guias de Trânsito Animal (GTA) e a quantidade de animais abatidos em frigoríficos com Sistemas de Inspeção Federal (SIF), Estadual (SIE) e Municipal (SIM).

A produção de carne bovina no Espírito Santo é de aproximadamente 80 mil toneladas por ano. Foto: Leo Junior/Seag
A produção de carne bovina no Espírito Santo é de aproximadamente 80 mil toneladas por ano. Foto: Leo Junior/Seag

No Espírito Santo existem 14 abatedouros de bovinos com serviços de inspeção, seja Federal, Estadual ou Municipal. Para o diretor-presidente do Instituto de Defesa Agropecuária e Florestal (Idaf), Daniel Pombo de Abreu, a pesquisa do Cepea confirma o trabalho de fiscalização que é feito de forma contínua. “Além do atendimento constante às denúncias recebidas, a parceria com o Ministério Público também é fundamental. Esse é um serviço essencial, realizado em prol da saúde pública”, diz o diretor.

Por ano, a produção de carne bovina no Espírito Santo é de aproximadamente 80 mil toneladas, com esse montante sendo destinado ao mercado interno e às exportações. “No Espírito Santo, evoluímos muito da qualidade dos animais e os abates inspecionados também são determinantes para a abertura mercado internacional, onde as exportações de carne bovina capixaba atingiram cerca de US$ 30 milhões no ano passado”, afirma Bergoli.