Por volta das sete da noite desta quarta-feira (31) um falso professor de educação física foi flagrado por fiscais do Conselho Regional de Educação Física (CREF) 1 dando aula de condicionamento físico em um estúdio localizado na Avenida Beira Mar, na Praia do Morro.

O CREF recebeu as denúncias contra o falso profissional há um mês, vinha investigando e ontem realizou a fiscalização que resultou no flagrante.

Um fiscal do CREF 1, que não quis ser identificado, relatou que a ação aconteceu após denúncias. “Nós recebemos denúncias sobre esse falso profissional há aproximadamente um mês. Essas denúncias são previamente investigadas e ontem fomos ao local e flagramos o senhor orientando o condicionamento físico na forma de abdominal e alongamento e o mesmo não possui habilitação profissional em desacordo com a nossa legislação federal”.

Segundo o fiscal, o homem é suíço e tem documentos como identidade e CPF, mas na hora da fiscalização estava sem nada. “Ele não estava com qualquer documento então a gente constatou em uma consulta só através do nome que ele não possui a habilitação profissional. A partir daí nós chamamos a Polícia Militar, que é um procedimento normal do Conselho, para irmos até a delegacia fazer a ocorrência”.

“Ele não fala muito bem português. A gente perguntou ele sobre a habilitação profissional e ele disse que não tinha. Nós explicamos que ele não pode estar à frente das atividades de condicionamento físico uma vez que ele não tem a habilitação profissional aqui no Brasil”, relatou o fiscal.

O falso professor foi levado para delegacia, onde assinou um termo circunstanciado se colocando a disposição da justiça.

Ele informou ainda que o estúdio onde o falso professor trabalha não tem nome, funciona em uma loja onde acontecem outras atividades físicas. “O local não fica fechado porque tem outras modalidades lá que não são do Conselho Regional de Educação Física”.

De acordo com o fiscal, na delegacia o suíço assinou o termo circunstanciado se colocando à disposição da justiça para explicar o fato. “Ele vai responder a um processo e as punições vão depender do que o juiz entender da situação”.

Riscos. O fiscal esclareceu que por permitir uma pessoa fora da área ou sem a habilitação o estabelecimento pode sofrer um auto de infração, porém, como não havia documentos do local como, por exemplo, CNPJ isso não aconteceu. “O local, na verdade, a gente notificou porque a gente não sabe efetivamente quem é o dono. Então a gente fez queixa no próprio termo com a notificação da ausência do registro de pessoa jurídica uma vez que tem a prestação do condicionamento físico”.

Ainda de acordo com o fiscal, o CREF registra uma média de 10 a 11 exercícios ilegais da atividade por mês no estado. Ele explicou como uma pessoa sem a formação em Educação Física pode prejudicar a saúde de um aluno. “Ela não vai ter os conhecimentos necessários para passar o treino para a pessoa que está procurando um exercício para melhorar a sua saúde e isso pode levar a lesões articulares e até lesões mais severas que podem causar a morte”.

Comments are closed.