Em sua rede social, o Secretário de Estado da Saúde afirmou que o Espírito Santo irá registrar um considerável aumento de casos da Covid-19 nas próximas semanas.

O secretário ressaltou que, com o aumento da interação social, os capixabas devem manter todas as medidas de precaução.

Nésio Fernandes explica, entretanto, que esses novos registros não significarão que o Estado viverá uma “segunda-onda” do coronavírus e, sim, que o aumento de casos positivos será influenciado por uma mudança no critério de testes.

“Nas próximas semanas teremos um aumento no número de casos observados de COVID-19+ no ES. Teremos muitos pacientes positivos nos diversos inquéritos e pela mudança de critério de testagem e investigação de contatos domiciliares. Por enquanto, não será a “segunda onda”. As internações hospitalares e o comportamento do óbito por COVID-19 são os principais marcadores de uma “segunda onda” concreta. Nossa meta é diagnosticar muito e bloquear melhor a cadeia de transmissão. Ter muitos casos será um fator de busca/enfrentamento.

O secretário ressaltou que, com o aumento da interação social, os capixabas devem manter todas as medidas de precaução.”O aumento da interação social pode influenciar o comportamento dos casos, mas a adoção das medidas protetoras pela população/estabelecimentos contribui para reduzir riscos de contágio. É preciso que todos estejamos vigilantes, temos uma longa jornada até o controle pandêmico. Desde o início da pandemia temos dito que podemos viver momentos de abertura/restrição alternados. Agora viveremos semanas de ampla retomada das atividades sociais e econômicas. Respeitando os protocolos sanitários e fazendo muito diagnóstico/bloqueio, preservaremos vidas. Mas sem respeito aos protocolos, a exposição de suscetíveis poderá voltar a elevar casos/internações/óbitos. Caso esses três elementos voltarem a crescer de modo sustentável, estaremos vivendo uma “segunda onda” com possível repercussão sobre atividades econômicas e sociais.”

Deixe seu comentário