Na manhã desta segunda-feira (07) a Delegacia de Crimes Contra a Vida (DCCV) apresentou Igor Pereira Rufino, de 21 anos,   Diego Vicente de Andrade, mais conhecido como “Peruquinha”, de 29 anos, e Leonardo Nunes do Couto, conhecido como “Gaguinho”, de 21 anos. Os três são acusados de estarem envolvidos no tiroteio que feriu uma menina de 11 anos, em Perocão, no início de abril.

Igor Pereira Rufino, de 21 anos,   Diego Vicente de Andrade, mais conhecido como “Peruquinha”, de 29 anos, e Leonardo Nunes do Couto, conhecido como “Gaguinho”, de 21 anos, estão presos no Centro de Detenção Provisória (CDP).

O delegado da DCCV Tarik Souki explicou como tudo aconteceu. “Na ocasião, grupos rivais de traficantes de drogas entraram em confronto. De um lado os indivíduos Alexandre Soares, vulgo “Alex Família”, e seu comparsa Igor Pereira efetuaram diversos disparos de arma de fogo contra os seus rivais Diego, o “Peruquinha”, e Leonardo, vulgo “Léo Gaguinho”. Eles também atiraram e, infelizmente, acabaram atingindo a criança, que passava na rua no momento do tiroteio, e dois dos autores também foram atingidos”.

Tarik afirmou que os traficantes se encontraram por acaso e passaram a atirar um contra o outro, mas que não se sabe quem iniciou o tiroteio. “Não foi identificado quem atirou primeiro, mas, infelizmente, atingiram essa criança”. O delegado disse ainda que a menina só sobreviveu porque foi socorrida rapidamente. “É importante ressaltar que essa criança sobreviveu graças a um excelente trabalho da equipe médica bem como da Polícia Militar, que efetuou o transporte aéreo e a socorreu até a capital”.

Ele também relatou que Igor já estava preso por tráfico de drogas enquanto a polícia investigava a tentativa de homicídio contra a criança, que resultou na prisão dos demais. “A polícia recebeu uma informação e no primeiro momento prendeu o Igor em flagrante portando arma de fogo, drogas, material para embalagem e balança de precisão. Posteriormente colhemos as oitivas das testemunhas e foram identificados os demais, que confessaram a participação no crime”.

O traficante Alex Família está foragido e a Polícia pede para que as pessoas que souberem onde encontrá-lo denunciem através do 181.

Alexandre Soares dos Santos, mais conhecido como “Alex Família”, de 31 anos, é o quarto envolvido no tiroteio, mas está foragido. “O Alex Família se encontra foragido. Solicitamos que a população, caso saiba do paradeiro desse indivíduo, ligue para o disque-denúncia (181), que sua identidade será preservada”.

Segundo o delegado, dos quatro envolvidos apenas o “Peruquinha” não tem passagem. “Eles possuem diversas passagens por tráfico de drogas e porte de arma”.

“É importante ressaltar o papel do Ministério Público Estadual nas pessoas dos promotores de justiça doutor Sandro e doutor Ronald, bem como a do Poder Judiciário que se manifestaram favoravelmente as nossas representações pelas prisões colaborando assim para a retirada desses criminosos das ruas”, explicou o delegado.

De acordo com o Tarik, os três estão presos no Centro de Detenção Provisória de Guarapari e responderão por tentativa de homicídio qualificado, cuja a pena varia de 12 a 30 anos de reclusão.