Em tempos de pandemia da Covid-19, a orientação das autoridades sanitárias é o isolamento social, ficando em casa o máximo de tempo possível. Mas isso nem sempre é uma opção para quem ainda consegue se segurar no emprego e precisa, quase que diariamente, enfrentar transporte coletivo no trajeto de ida e volta do trabalho.

Marcelo Santos quer proibir o acesso a terminais do Transcol e intermunicipais de passageiros, funcionários e motoristas de táxi e aplicativos que não estejam utilizando máscaras.

Para evitar que trabalhadores corram mais riscos nesses percursos, o deputado estadual Marcelo Santos (PDT) quer que o uso de máscaras seja obrigado em terminais do Transcol, intermunicipais e também dentro dos coletivos.

“Em cidades classificadas com risco elevado, o uso de máscaras é obrigatório, mas ainda flagramos passageiros dentro dos terminais e dos coletivos sem esse equipamento que diminui a probabilidade de contágio, por isso enviei um ofício ao governador Renato Casagrande para que tome medidas a fim de evitar uma explosão de casos em nosso Estado”, contou o deputado que também preside a Comissão de Infraestrutura da Assembleia Legislativa (CoinfraES).

Em ofício enviado ao Chefe do Poder Executivo estadual, Marcelo Santos quer proibir o acesso a terminais do Transcol e intermunicipais de passageiros, funcionários e motoristas de táxi e aplicativos que não estejam utilizando máscaras. Além disso, durante todo o trajeto do coletivo, o motorista que verificar passageiro sem máscara deverá recusar o embarque ou solicitar que o mesmo desembarque imediatamente. “É urgente a tomada de atitudes para redução do contágio e evitar um possível colapso do sistema público de saúde com uma consequente explosão de gastos públicos”, justificou.