A Organização Mundial da Saúde (OMS) informou que há 1.017 mortes por causa do novo coronavírus na China. Nesta terça-feira (11), a agência da ONU consolidou em mais de 43 mil os casos da doença confirmados no mundo.

A maior parte dos casos identificados de infecção está concentrada dentro da China. O restante, 393 casos estão espalhados em 24 países, entre eles, o Brasil. O surto de coronavírus representa uma “ameaça muito grave para o resto do mundo”, disse Tedros Adhanom Ghebreyesus, diretor-geral da OMS.

médico Rogério Zanon

A maior preocupação, segundo o médico Rogério Zanon, de Guarapari, é o carnaval, devido a aglomeração de pessoas, já que o vírus se trata de uma doença respiratória e o contágio mais comum entre os humanos é pelo ar. Pessoa contaminada tosse ou espirra, espalhando o vírus.

O Brasil tem 11 casos casos suspeitos de novo coronavírus, de acordo com o Ministério da Saúde. Os dados são do balanço divulgado às 13h30 deste domingo (9). Segundo o governo federal, já foram descartadas 28 suspeitas desde o começo do monitoramento.

Os casos ainda sob investigação estão assim distribuídos: Minas Gerais (1), Paraná (1), Rio de Janeiro (2), São Paulo (3), Santa Catarina (1) e Rio Grande do Sul (3).

Um casal capixaba, voltou no último domingo para o Estado, e está isolado na casa de parentes em Vitória. O médico, de 35 anos, e a esposa, a dona de casa, 32, viveram durante três anos na cidade de Kunming, província Yunan, no sul da China, mas decidiram voltar, já que a mulher está grávida.

O isolamento foi uma decisão do casal, como forma de prevenção, sendo uma decisão deles.

A primeira morte pelo Coronavírus foi confirmada na China, dia 9 de janeiro. Um homem de 61 anos foi a primeira vítima. O paciente foi hospitalizado com dificuldades para respirar e pneumonia grave, e morreu após uma parada cardíaca. Naquele momento, 41 pessoas já haviam se infectado.

O Ministério da Saúde (MS) recomendou evitar viagens à China como forma de prevenir contaminações. No entanto, as precauções de contágio são importantes para evitar a propagação de doenças infecciosas de qualquer etiologia, inclusive a desse novo vírus.

Fique atento aos seguintes cuidados:

– Evitar contato próximo com pessoas doentes e que tenham infecção respiratória aguda
– Lavar as mãos frequentemente com água e sabão por pelo menos 20 segundos. Se não houver água e sabão, usar um antisséptico para as mãos à base de álcool em gel, principalmente, após contato direto com pessoas doentes e antes de se alimentar
– Usar lenços descartáveis para higiene nasal (nada de lencinhos de pano!)
– Cobrir nariz e boca sempre que for espirrar ou tossir com um lenço de papel e descartar no lixo
– Higienizar as mãos sempre depois que tossir ou espirrar
– Evitar tocar em olhos, nariz e boca com as mãos não higienizadas
– Manter ambientes muito bem ventilados
– Não compartilhar objetos de uso pessoal como copos, garrafas e talheres
– Limpar e desinfetar objetos e superfícies tocados com frequência
– Evitar contato com animais selvagens ou doentes

Deixe seu comentário