Pela primeira vez em sete anos, dois presos conseguiram escapar do Centro de Detenção Provisória de Guarapari. A fuga, confirmada na sexta-feira (01) pela Secretaria de Estado de Justiça (Sejus), ocorreu na última quarta-feira (29).

As circunstâncias da fuga ainda não foram esclarecidas, mas o que foi apurado pela reportagem do Portal 27 é que os dois detentos, Isnando Silva dos Santos, vulgo pintinho, e Bruno Fernandes Barcelos, se esconderam em uma boca de lobo, que fica ao lado da quadra, durante o banho de sol e conseguiram fugir depois que os outros detentos foram recolhidos às suas celas. Os agentes só sentiram a falta dos dois presos durante a contagem, que ocorreu horas depois.

bruno fernandes barcelos e isnando
Bruno e Isnando fugiram na última quarta-feira (29). os dois ainda não foram localizados. foto: site Sejus

Isnando Silva dos Santos estava preso por homicídio, já Bruno Fernandes Barcelos estava preso por homicídio e tráfico de drogas. Os dois ainda não foram localizados pela polícia.

A Sejus informou em nota que: “A Corregedoria da Secretaria de Estado da Justiça (Sejus) está apurando com rigor as circunstâncias da fuga dos detentos Bruno Fernandes Barcelos e Isnando Silva dos Santos, do Centro de Detenção Provisória de Guarapari, nesta quarta-feira (29). O fato foi comunicado ao juiz da Vara de Execução Penal e ao Grupo Especial de Trabalho em Execução Penal (Getep), do Ministério Público Estadual.Os foragidos estão sendo procurados pela polícia e as pessoas que tiverem informações devem entrar em contato com o Disque-Denúncia, por meio do telefone 181”.

Foi a primeira fuga registrada em quase sete anos do CDP. Foto: João Thomazelli/Portal 27
Foi a primeira fuga registrada em quase sete anos do CDP. Foto: João Thomazelli/Portal 27

Durante a apuração feita pelo Portal 27 sobre a fuga dos detentos, ouvimos alguns agentes que já trabalharam no CDP de Guarapari. De todos eles ouvimos a mesma reclamação: falta profissionais para cuidar de tantos presos. “Hoje o CDP de Guarapari está necessitando de agentes penitenciários. Eles (os agentes) trabalham no limite de suas condições. Se o Estado não agir logo, as fugas serão mais frequentes naquela unidade”, contou um ex-agente penitenciários que trabalhou no CDP de Guarapari.

A Sejus não confirmou esta informação. Quem tiver alguma pista que leve à captura dos dois foragidos pode ligar para o disque denúncia através do 181. Não é necessário de identificar.