Um pecuarista de Guarapari já não sabe mais o que fazer para impedir que ladrões roubem gado em uma de suas propriedades. Em oito meses já foram 11 cabeças roubadas e um prejuízo acumulado de pelo menos R$ 30 mil.

No ano passado Josias Cerutti arrendou uma pequena propriedade em Machinda, zona rural de Guarapari para criar gado. Mas logo depois, em dezembro, os problemas começaram.

“Eu havia comprado uma novilha e ela ia dar a primeira cria em dezembro, mas os bandidos vieram e mataram a novilha e arrancaram o bezerro de dentro dela. Só ficou a cabeça da vaca para trás”, relembra indignado. Apenas no mês de dezembro de 2015, quatro cabeças de gado foram roubadas da propriedade.

Josias já teve um prejuízo de R$ 30 mil com os roubos em sua propriedade. Foto: João Thomazelli/Portal 27
Josias já teve um prejuízo de R$ 30 mil com os roubos em sua propriedade. Foto: João Thomazelli/Portal 27

Mas os ataques não pararam por aí. Até a semana passada foram 11 cabeças de gado mortas na propriedade do pecuarista. “Eles vêm aqui e simplesmente matam o animal e só deixam a carcaça para trás. Um dos animais eles mataram às 11 horas da manhã. Chegaram a oferecer carne para meu vizinho. Eles não se preocupam com nada”, desabafa.

De dezembro de 2015 até a semana passada, os ladrões já levaram 11 animais da propriedade. Foto ilustrativa
De dezembro de 2015 até a semana passada, os ladrões já levaram 11 animais da propriedade. Foto ilustrativa

Há duas semanas os ladrões mataram mais um animal. No pasto só restou a cabeça e o capim que estava no estômago do animal. “Eles levam tudo. Com um dos animais mortos, eu tinha comprado e pago com um cheque de R$ 4.120,00 para 60 dias. Com 15 dias eles roubaram o bicho. É revoltante uma situação dessas, meu prejuízo já chega a R$ 30 mil”.

Cerutti já procurou a polícia civil e fez vários boletins de ocorrência, mas até agora nenhum suspeito foi detido. As investigações estão em andamento. Para Cerutti só restou investir em segurança privada. “Agora eu contratei dois seguranças que vão ficar 24 horas por dia na propriedade e estou pensando em colocar câmeras também. É mais dinheiro gasto numa situação absurda, mas é o único jeito”, finalizou.

Deixe seu comentário

Comments are closed.