Em um ambiente de música eletrônica, milhares de jovens se reúnem para passar mais 24 horas de diversão nas chamadas Festas Rave. Motivo de preocupação para os pais e de euforia para a garotada, estas festas são recheadas de todo o tipo de drogas.

Em todo o país, milhares de jovens se reúnem em torno destas festas que acontecem praticamente todo final de semana em algum lugar perto de nós. As movimentações e os convites são feitos através das redes sociais onde são criados os eventos e em poucos dias, de uma forma viral, milhares de pessoas confirmam presença e convidam seus amigos para participar e garantem o sucesso da Rave.

rave1

Atualmente podemos encontrar drogas em qualquer esquina, em qualquer festa, em qualquer ambiente e as polêmicas festas Rave não são diferentes. Em Guarapari elas já foram proibidas através da Lei Municipal nº 3321/2010 que gerou muita polêmica.

Após a promulgação desta Lei, um grupo de entidades de Guarapari pediu e a Câmara Municipal de Guarapari para revogar a Lei Municipal nº 3321/2010, que proíbe festas raves em Guarapari.

Entidades que foram a favor da revogação da lei: Transparência Guarapari, Sindicato da Indústria da Construção Civil de Guarapari (SINDICIG), Associação de Hotéis e Turismo de Guarapari (AHTG), Associação dos Empresários de Guarapari, (ASEG) e Câmara de Dirigentes Lojistas (CDL), essas entidades também alegam que a lei é inconstitucional.

No dia 13 de junho, finalmente a Lei Municipal nº 3321/2010 foi revogada pela Câmara Municipal em meio a discussões, gritos, vaias e discursos inflamados e foi liberada a realização de festas Raves na cidade de Guarapari.

rave2

Morte em Rave no ES
Um jovem de 20 anos morreu no dia 17 último após participar de uma festa rave em Regência, de Linhares, norte do ES.

De acordo com seus amigos, Wilian Martins caiu no chão após sair da festa e começou a se debater. Cerca de meia hora depois, o jovem morreu. Familiares e amigos alegaram que ele não é usuário de drogas, mas, mesmo assim, a Polícia Civil pediu a realização de um exame toxicológico no corpo da vítima. O resultado do exame deverá sair em 20 dias.

De acordo com o delegado Fabrício Lucindo, o rapaz não apresentava nenhum tipo de lesão corporal. “Os médicos examinaram a vítima e não havia nenhum sinal de hematoma ou lesão externa e não havia nenhum sinal de lesão nos órgãos internos também”, disse.

Segundo amigos de Wilian, ele saiu de repente da festa por volta das 16h. Ele correu por aproximadamente cinco minutos até cair em uma estrada de terra, onde começou a se debater. Meia hora depois, morreu. Os pais do jovem dizem que ele não era usuário de drogas e amigos que estavam na festa contaram que ele não usou nenhum tipo de droga no dia da festa.

rave

Drogas mais consumidas nas Raves:
Êxtasy
Definição: A MDMA (3,4-metilenodioximetanfetamina), comumente chamada de êxtase, é uma droga sintética, ilegal e com potencial de gerar dependência. A MDMA possui propriedades estimulantes e alucinogênicas, embora muito menos intensa quando comparada à maioria das drogas alucinógenas.

Saiba mais.
Mecanismo de Ação: Logo após a ingestão, a MDMA distribui-se amplamente pelo organismo, chegando ao cérebro e intensificando a atividade de alguns neurotransmissores que atuam na regulação de humor, sono, dor e apetite. Saiba mais…
Efeitos no organismo: O êxtase apresenta efeitos semelhantes aos estimulantes do sistema nervoso central (agitação), bem como efeitos perturbadores (mudança da percepção da realidade). Seus efeitos mais marcantes são a sensação de melhora nas relações entre as pessoas, o desejo de se comunicar, melhora na percepção musical e aumento da percepção das cores.

Conseqüências Negativas: O uso de êxtase é geralmente seguido de um grande esforço físico, devido a uma prática vigorosa da dança. Essaassociação (esforço físico e êxtase) tende a aumentar consideravelmente a temperatura, que pode atingir mais de 42ºC e, inclusive, ser mortal.. O uso freqüente e prolongado pode ocasionar problemas no fígado e cognitivos. 

rave3

Anfetaminas
Definição: A anfetamina é uma droga sintética de efeito estimulante da atividade mental. A denominação “anfetaminas” é atribuída a todo um grupo de substâncias como: fenproporex, metanfetamina e dietilpropiona. Todas estas são comercializadas sob a forma de medicamento. Os usos clínicos mais comuns são como moderador de apetite e no tratamento de pacientes com Transtorno de Déficit de Atenção/Hiperatividade. Um outro tipo de anfetamina bem conhecido, porém de uso ilícito, logo, não encontrado em farmácias, é a metilenodioximetanfetamina (MDMA), conhecida por êxtase.

Mecanismo de Ação: A ação da anfetamina é estimulante provocando aceleração do funcionamento mental, aumentando a liberação e o tempo de atuação dos neurotransmissores dopamina e noradrenalina no cérebro. Assim, há uma alteração nas funções de raciocínio, emoções, visão e audição, provocando sensação de satisfação e euforia.

Efeitos no organismo: A pessoa sob o efeito de anfetamina tem insônia, perde o apetite, fica eufórica e com uma fala acelerada. Além disso, apresenta irritabilidade, prejuízo do julgamento, suor, calafrios, dilatação das pupilas e convulsões.

Saiba mais.
Consequências negativas: A anfetamina provoca dependência, assim o usuário tem que consumir maiores quantidades de comprimidos para obter os mesmos efeitos (tolerância). É comum que pessoas que utilizem anfetamina para perder peso, voltem a engordar quando interrompem o seu uso. O uso indevido e prolongado pode provocar alterações psíquicas, lesões cerebrais e aumenta do risco de convulsões e overdose.
Cocaína

Definição: É uma substância psico-estimulante extraída das folhas de uma planta originária da América do Sul, popularmente chamada coca (Erythroxylon coca).

Mecanismo de Ação: A substância atua no cérebro modificando a comunicação entre os neurônios. A intensidade dos seus efeitos é maior quando utilizada por via endovenosa (injetada) ou inalada (fumada). Quando fumada, seus primeiros efeitos ocorrem em 10 a 15 segundos, enquanto que pela via injetada, entre 3 e 5 minutos. Pela via aspirada (cheirada) surgem após 10 a 15 minutos.

Efeitos no organismo: Os efeitos imediatos mais comuns são euforia, suor, taquicardia, calafrios e diminuição da fadiga. O uso contínuo de cocaína pode provocar dependência e hipertensão e é fator de risco para infartos do miocárdio e AVCs – acidentes vasculares cerebrais (derrames). Pode também induzir a transtornos psiquiátricos.

Conseqüências Negativas: No Brasil, a cocaína é a substância mais utilizada pelos usuários de drogas injetáveis. Muitas dessas pessoas compartilham agulhas e seringas e expõem-se ao contágio de várias doenças, entre elas hepatites, Aids, malária e dengue

Saiba mais
LSD – 25

Definição: Perturbadores ou alucinógenos sintéticos são substâncias fabricadas em laboratório, não sendo, portanto, de origem natural, e que são capazes de provocar alucinações no ser humano.

Mecanismo de Ação: O LSD-25 atua produzindo uma série de distorções no funcionamento do cérebro, trazendo como conseqüência uma variada gama de alterações psíquicas.

rave3

Efeitos no organismo: O LSD-25 tem poucos efeitos sobre outras partes do corpo. Logo de início, 10 a 20 minutos após tomá-lo, o pulso pode ficar mais rápido, as pupilas podem ficar dilatadas, além de ocorrer sudoração, e a pessoa pode sentir-se com uma certa excitação.

Conseqüências Negativas: O fenômeno da tolerância desenvolve-se rapidamente com o LSD-25, mas também há desaparecimento rápido com a interrupção do uso.

Anticolinérgicos
Definição: São plantas e substâncias sintéticas que possuem em comum uma série de efeitos no corpo humano, alterando funções psíquicas. Entre as plantas temos as popularmente conhecidas como Saia Branca, Lírio, Trombeta, Trombeteira, Zabumba, Cartucho, Estramônio, entre outras.

Mecanismo de Ação: Os anticolinérgicos, tanto de origem vegetal como os sintetizados em laboratório, atuam principalmente produzindo delírios e alucinações.

Efeitos no organismo: As drogas anticolinérgicas são capazes de produzir muitos efeitos periféricos, além dos provocados no sistema nervoso central. Assim, as pupilas ficam muito dilatadas, a boca seca e o coração pode disparar. Conseqüências negativas: Os anticolinérgicos podem produzir, em doses elevadas, grande elevação da temperatura, que chega às vezes até 40 ou 41ºC.

Deixe seu comentário