Com a crise econômica no País, os centros de saúde filantrópicos capixabas passam por dificuldades para manter suas atividades. A senadora Rose de Freitas (PMDB) se reuniu nessa segunda-feira (27) com representantes do Hospital Evangélico, da Pró-Matre e com o secretário de Estado da Saúde, Ricardo de Oliveira, e ouviu os entraves de ambas as partes.

Em relação ao hospital evangélico, o presidente da instituição, Sebastião Vicente de Oliveira, apontou que o maior gargalo é a manutenção da maternidade de Cariacica. “Há a necessidade do recebimento de recursos atrasados dos governos federal e estadual, de cerca de R$ 3 milhões para a maternidade; além de investimento mensal de R$ 100 mil da prefeitura de Cariacica, por meio de convênio”, apontou o presidente.

image_3
A senadora Rose de Freitas (PMDB) se reuniu nessa segunda-feira (27) com representantes do Hospital Evangélico.

Ele disse ainda que precisa, para o Hospital Evangélico, recursos para a construção de um centro de oncologia. Rose, dessa forma, marcou reunião com o prefeito de Cariacica, Geraldo Luzia Júnior, o Juninho, para conversar sobre o investimento de R$ 100 mil. Sobre atrasos, a senadora reiterou que vai lutar para conseguir o montante junto ao governo federal.

A parlamentar, inclusive, tem projeto em parceria com o senador Marcelo Crivella (PRB-RJ) que antecipa para Espírito Santo e Rio de Janeiro recursos da exploração de petróleo e gás natural, exatamente com o foco em saúde e educação.

image_1
Na reunião com representantes da maternidade Pró-Matre, no gabinete de Ricardo de Oliveira, o secretário mostrou-se disposto a colaborar com as dificuldades do centro médico

O secretário Ricardo de Oliveira não estava no momento da reunião com os representantes do Hospital Evangélico. Porém, mais tarde, ressaltou sobre a dificuldade financeira do Estado por conta da “desorganização em que encontrou a saúde capixaba”, e rememorou o recurso de R$ 58 milhões já liberado pelo governo para os filantrópicos. Valor que deve ser disponibilizado aos hospitais no início de maio.

Na reunião com representantes da maternidade Pró-Matre, esta no gabinete de Ricardo de Oliveira, o secretário mostrou-se disposto a colaborar com as dificuldades do centro médico. A senadora Rose de Freitas, por exemplo, ressaltou no encontro que gestantes, por falta de infraestrutura, chegam a ficar expostas ao sol. Ela enfatizou ainda que a maternidade atende cerca de 400 mulheres por mês e, por isso, precisa ter atenção adequada.