A história de superação de Gabriel Rocha, 32, se transformou em uma luz no fim do túnel para dependentes químicos. O jovem que viveu nas drogas por mais de 13 anos, hoje, administra, junto com seu pai, Valdemar Rocha, a clínica de recuperação de dependentes químicos LightHouse.

Gabriel em 2010, quando ainda era dependente. Foto: Arquivo Pessoal.
Gabriel em 2010, quando ainda era dependente. Foto: Arquivo Pessoal.

“Eu fui viciado por 13 anos, usei até crack. Aos 27 anos, me internei e fiquei seis meses em uma clínica de recuperação. Foi aí que eu comecei a me reencontrar e a me reconstruir. Me reencontrei com Deus e reconstruí, primeiro, minha vida e depois minha família”, conta.

Ao deixar o vício, Gabriel afirmou querer retribuir a Deus tudo que pode reconquistar. “Como forma de agradecer, de mostrar gratidão, gravei um CD e Deus me deu esse ministério, que me leva a mostrar as pessoas por meio do meu testemunho que a droga não é o caminho. Faço palestras em escolas, levo aos jovens a mensagem”, explica.

Gabriel, com sua esposa, Lu Paiva, e os filhos, João Gabriel e Maria Tereza. Foto: Arquivo Pessoal.
Gabriel, com sua esposa, Lu Paiva, e os filhos, João Gabriel e Maria Tereza. Foto: Arquivo Pessoal.

A clínica

A LightHouse atende a jovens e adultos do sexo masculino. Gabriel afirma que a dependência não escolhe classe social, cor, credo ou sexo. “Hoje, a dependência química não tem distinção de tipos. Porém, os jovens são mais atingidos. Os adolescentes são consumidores em potencial, pois é uma fase de transição complexa da idade”, garante.

Sobre soluções para evitar o problema, ele diz que princípios espirituais e base familiar são o caminho. “Se a criança ou jovem tiverem acesso a bebida ou drogas dentro de sua casa, pode apresentar essa dependência no futuro. Se ela já demonstra um vício em eletrônicos, isso pode levar ela ao isolamento. Dessa forma, quando chegar o momento de se relacionar socialmente, a droga pode ser tornar ferramenta de socialização”, informa.

A clínica fica em Setiba e pode atender até 22 pessoas ao mesmo tempo. Foto: Divulgação.
A clínica fica em Setiba e pode atender até 22 pessoas ao mesmo tempo. Foto: Divulgação.

Internação

Já passaram pela clínica mais de 400 pessoas. O objetivo da LightHouse é preparar os dependentes para as barreiras que a vida impõe. Para que eles saibam ficar firmes durante as tribulações. A internação é determinada por meio do estudo de cada caso individualmente.

A clínica conta com um corpo médico extremamente dedicado. O espaço é diferenciado, pois o paciente não fica trancado. Ele pode fazer caminhadas na praia, nadar, praticar esportes e também é orientado espiritualmente.

Para quem tem algum familiar envolvido com drogas, Gabriel tem uma mensagem. “Entre em contato com a gente, vamos dar a orientação necessária. Vamos acompanhar o caso e ajudar você a buscar uma solução para o problema”, garante. A LightHouse é uma clínica particular e atende a diversos planos de saúde.

Contato

Site: http://www.lighthouse-es.com.br/

Facebook: https://www.facebook.com/lighthouseguarapari?ref=hl

Telefone: 27 3262-6544 / 99834-0281

Deixe seu comentário

Comments are closed.