O fim do estacionamento rotativo na cidade não parece ter alegrado a todos. É que com a retirada das cobranças obrigatórias das ruas, a permanência dos flanelinhas voltou a incomodar a população, principalmente quem precisa estacionar no Centro da cidade.

O Portal 27 recebeu denúncia de um morador da Rua Joaquim da Silva Lima, Marcos Vinícius, segundo ele, “a situação está insuportável, queremos ver se com as denúncias chamamos atenção das nossas autoridades competentes, pois a convivência com os mesmos está muito difícil, fora os que ficam cobrando para estacionar carros no lote do Radium Hotel e na hora que a polícia chega e multa todo mundo os flanelinhas somem, quando a polícia vai embora eles passam de carro em carro tirando os papéis da notificação e rasgando”, afirmou o leitor do Portal 27.

Flanelinha no Rádium Hotel

Marcos Vinicius fala de sua indignação. “Isso é a indignação de um morador de Guarapari que não aguenta mais esses caras, hoje pela manhã um fiscal da prefeitura colocou um para correr, porque ouviu ele ameaçar uma mulher que trabalha na mesma rua do Santo Antônio, em frente ao Radium Hotel”. As reclamações não param por aí, segundo Marcos, na última segunda-feira, um dos rapazes tentou tirar a moto de um agente penitenciário do lugar, o agente não gostou e foi reclamar, o flanelinha pegou um martelo para bater no agente que teve que sacar a arma como forma de proteção. Segundo Marcos, as funcionárias de uma corretora próxima ao Radium Hotel também morrem de medo dos flanelinhas, “porque eles ficam ameaçando o dia inteiro”. “Está uma situação insuportável e nossas autoridades competentes não fazem nada para melhorar isso”, conclui.

Atuação de flanelinhas no Radium Hotel

Um outro leitor do Portal 27 que não quis se identificar também enviou seu depoimento. “Ontem à noite também com meus familiares tive o desprazer de ser abordado por flanelinhas no Siribeira Club e em Meaípe, onde os mesmos cobravam 10 reais antecipadamente para estacionamento em via pública”, segundo o leitor os flanelinhas chegam até a demarcar território, como se fosse algo normal. O leitor do Portal pede atitude das autoridades, para que seja inibida a prática de coação, a extorsão e o loteamento da área pública por parte dos flanelinhas.

Entramos em contato com a Prefeitura Municipal para falar a respeito do caso e segundo a assessoria de imprensa o assunto deveria ser verificado junto à Polícia Militar. De acordo com o Major Palaoro, do 10º Batalhão da Polícia Militar, “A extorsão e/ou ameaça de flanelinhas deve ser denunciada no instante do fato via 190. O trânsito é municipalizado e ocorrências sobre flanelinhas devem ser direcionadas à Secretaria de Trânsito do Município. A PMES tem intensificado sua presença em toda região”.

Deixe seu comentário

Comments are closed.