Guarapari é um dos balneários capixabas mais procurados pelos turistas. Independente do horário, as praias da cidade saúde estão sempre cheias e os visitantes ficam encantados com as belezas do município. Mas eles também têm uma reclamação, o alto preço dos produtos a beira mar.

A enfermeira Wanna Tielmann, de 26 anos, de Juiz de Fora, em Minas Gerais,é uma das pessoas insatisfeitas. Ela está com a família na Praia do Morro e afirmou que o sabor das comidas e o atendimento são bons, mas o preço das coisas está elevado. “Achei o preço do peixe bem caro. Paguei R$ 120,00 em um único peixe. Tudo bem que ele vem com batata frita, mandioca e outros acompanhamentos, mas está caro e não está grande como nos outros anos que viemos para cá”, afirmou.

Wanna relatou que chegou a pagar R$ 120,00 em um peixe e disse que o alto preço das coisas a desanima de voltar. Foto: Rafaela Patrício

Para tentar reduzir os custos ela contou que tem levado as bebidas de casa para praia, mas que o gasto com a comida tem a desanimado de voltar. “Faz uns 20 anos que a gente vem para cá e estamos vendo que todo ano as coisas estão aumentando, mas do ano passado para cá tudo aumentou bem. Isso desanima demais. Acaba que você não vem porque pode pagar um preço mais em conta na casa, mas vai gastar muito mais na praia”.

Moradores reclamam do alto preço dos produtos a beira mar. Foto: Wilcler Carvalho/Portal27

Boates. E não é só nas praias que as pessoas têm reclamado. O funcionário público Marcelo Ribeiro, foi a uma boate na Enseada Azul em Guarapari e reclamou. “Fui na abertura de uma casa noturna e achei um absurdo os preços. Minha esposa estava bebendo e eu não. Eu já tinha achado estranho os valores.  As bebidas estavam todas acima de 10 reais. Umas até a 22 reais. Minha surpresa foi quando eu pedi uma água. Estavam cobrando 8 reais. Um verdadeiro abuso”, reclamou

Procon. O Portal 27 procurou a prefeitura para saber quais orientações do Procon Municipal para os consumidores e o que está sendo feito para coibir o abuso dos preços nas praias e foi informado que

O Procon Municipal alerta que o consumidor precisa ficar atento a elevação demasiada dos preços na alta temporada. Primeiramente é preciso observar se aquele produto ou serviço tem algum valor agregado, se a sua qualidade não é superior em relação aos outros produtos ofertados da mesma espécie.

É preciso ficar atento quando os ofertantes fazem um acordo entre eles, formando os conhecidos carteis. Essa prática é considerada abusiva e fere o Código de Defesa do Consumidor, podendo ser formalizada uma denúncia no Procon.

Nessa época do ano há um aumento no número de reclamações com relação ao segmento bares, restaurantes, quiosques e boates. Por isso, as ações de fiscalização, junto ao Procon Estadual já estão sendo intensificadas no município”. 

Limpeza. Também questionamos a falta de limpeza na orla e recebemos a seguinte resposta. “A Companhia de Melhoramento e Desenvolvimento Urbano de Guarapari (Codeg) informa que a Praia do Morro e o Centro recebem duas equipes de limpeza por dia, uma a partir das 3h e outra às 7 da noite. Todas as outras praias da cidade recebem uma equipe por dia. No total são mais de 150 profissionais que trabalham na manutenção e limpeza da cidade e para que tenha conservação dos espaços públicos a Codeg pede a colaboração dos moradores e turistas para que façam o descarte correto do lixo. Lembrando que só na noite da virada, mais de 20 toneladas de lixo foram retiradas somente da Praia do Morro”. 

Deixe seu comentário

Comments are closed.