A falta de médicos e infraestrutura na unidade de saúde Pedro Machado, no bairro Bela Vista, está causando revolta nos moradores da região. Segundo eles, até copo para tomar água e papel higiênico faltam no posto.

“Fui lá levar meus filhos para tomar vacina e não tinha um copo para beber água, tive que dar água para eles na mão. Eles estavam com sede porque o sol estava muito quente e eu não levei copo, aí tive que pegar água com a mão e dar na boca deles. Isso não é de agora não e para gente é um absurdo muito grande porque aquele posto é muito grande e não serve para nada”, relatou a cozinheira Jania da Silva Ribeiro.

Moradores reclamam de falta de médicos e material na unidade de saúde.

A cozinheira afirma que além dos materiais de higiene, na unidade de saúde também faltam médicos. “Aquele posto não tem nada. A gente não encontra um não tem papel higiênico nos banheiros e não tem dentista nem pediatra. A única médica que tem lá é uma cubana, mas a gente não entende nada do que ela fala. É um posto tão grande, de dois andares e com mais de dez funcionários. Mas eles ficam lá tudo com celular na mão e batendo papo, ninguém faz nada”.

Ela relatou que “para conseguir ficha lá a pessoa tem que dormir na porta do posto porque são 15 fichas por semana para as pessoas que moram no São José, São Gabriel e Nossa Senhora da Conceição. Fiz meu preventivo no ano passado e até agora não consegui mostrar ainda porque vou ter que ir dormir lá para isso. Graças a Deus os meus filhos são saudáveis e eu também tenho uma saúde boa porque se dependesse de um médico naquele posto ali nem sei o que seria da gente”.

Há dois anos Sandra descobriu uma hérnia no umbigo e não consegue fazer os exames necessários.

Hérnia.Outra moradora que não está nada satisfeita com o atendimento do posto é a Sandra Maria Felix dos Santos. Há dois anos ela descobriu uma hérnia no umbigo e não consegue fazer os exames necessários para operar. “Quando o médico me atendeu eu fiz um ultrassom e deu a hérnia no umbigo. Ele disse que eu tinha que fazer uma cirurgia. Depois ele me pediu outro ultrassom e eu já fui lá e deixei o papel pedindo para fazer e até hoje não me chamaram para fazer a ultrassom de novo para eu poder operar. Isso já tem três meses. A hérnia está dura, crescendo e sangrando. Não posso pegar peso. Semana passada mesmo eu dormir lá com os três filhos pequenos para ver se conseguia resolver isso e até agora nada”.

O Portal 27 procurou a prefeitura para saber porque faltam médicos e também os materiais de higiene na unidade de saúde e também para saber o motivo da demora para a realização do ultrassom da Sandra, mas até o fechamento desta matéria não recebemos as respostas da prefeitura.

Deixe seu comentário

Comments are closed.