Os pacientes que fazem fisioterapia gratuitamente na Pestalozzi de Guarapari vão ficar sem atendimento a partir de hoje. A entidade que presta o serviço aos pacientes encaminhados pelos médicos do Sistema Único de Saúde (SUS), está desde junho sem receber o repasse do convênio com o SUS.

G

A Pestalozzi atende entre 120 e 150 pessoas por dia, que chegam para tratar de problemas oriundos de acidentes de trânsito, contusões e outras doenças. A entidade funciona há vinte anos e segundo sua gerente geral, Maria das Graças de Araújo, o convênio para realização da fisioterapia era feito com o Governo do Estado, através da Secretaria de Estado da Saúde (Sesa).

No entanto, Graça contou que esse convenio foi feito de maneira informal durante esse período e no último mês de junho o repasse foi suspenso. “Nós paralisamos os serviços de fisioterapia por dez dias em agosto e retomamos, pois fomos informados que a situação seria regularizada”, contou Graça.

GEDSC DIGITAL CAMERA

Para o gesseiro Eduardo Nobre de Lima, 53 anos, que está com problemas no ombro e realiza sessões de fisioterapia, a preocupação é que muitos pacientes terão seus tratamentos interrompidos. “Meu tratamento está acabando aqui, porque eu havia marcado no programa municipal e não consegui vaga. É lamentável”, disse Eduardo.

O aposentado Jose Edson Coreia Polvora, 74 anos, teve uma contusão no joelho e tem dificuldades para andar, por conta disso, ele precisa de fisioterapia constantemente.

“Acho um absurdo a clínica deixar de nos atender, afinal pagamos nossos impostos e temos direito ao atendimento pelo SUS”, desabafou Jose Edson.

GEDSC DIGITAL CAMERA
“Meu tratamento está acabando aqui, porque eu havia marcado no programa municipal e não consegui vaga. É lamentável”, disse Eduardo.

A Secretaria de Estado da Saúde (Sesa) informou por meio de nota que o repasse não foi feito, pois a entidade não possui autorização da Sesa para funcionamento.

Já a prefeitura de Guarapari, por meio da Secretaria Municipal de Saúde, informou que disponibiliza mensalmente um número médio de 95 atendimentos/mês em fisioterapia à população idosa (acima de 60 anos)  ocorrido no Centro de Referência à Atenção à Criança e ao Adolescente, cujo quadro de servidores conta hoje com 02 (dois) fisioterapeutas efetivos.

A secretaria informou ainda que a demanda não atendida no Município é encaminhada ao Complexo Regulador Estadual através da Central de Regulação Municipal.

Saiba mais

A Pestalozzi realiza entre 120 a 150 atendimentos de fisioterapia por dia.

Trabalham na Entidade 11 fisioterapeutas.

Além dos serviços de fisioterapia, a clínica recebe crianças portadoras de necessidades especiais, para tanto possui um médico pediatra, neurologista e psiquiatra. Esses serviços serão mantidos.

G

Deixe seu comentário