Banner TOP
JB Padrão

Ir de Guarapari para a região metropolitana da Grande Vitória pelo sistema Transcol aos sábados não é uma tarefa fácil. Na manhã de hoje (10) cerca de vinte passageiros ficaram duas horas no ponto do Trevo de Setiba aguardando pelo coletivo. Isto porque quem não consegue embarcar no ônibus das 8h10 só tem uma nova oportunidade  às 10h10.

Um desses passageiros é o administrador Gustavo Marques, de 24 anos.  Ele mora em Olaria, mas trabalha em Itapoã em Vila Velha, e depende do Transcol para ir para o trabalho.  “Todos os sábados é sempre assim. No mês passado não foi porque tinha um ônibus que chegava às 9h15, mas ele trocaram a linha do ônibus então ficou esse intervalo de duas horas e a gente  tem que chegar no trabalho ou atrasado ou muito cedo. É complicado demais. O ponto do Trevo de Setiba fica lotado de 8h15 até às 10h10 e as pessoas ficam no sol quente”.

Segundo Gustavo, todos os sábados o ponto do Trevo de Setiba fica lotado de passageiros que são obrigados a aguardar por até 2h para embarcar no Transcol. Foto: Gustavo Marques

Ele relatou que como o ônibus estava demorando e o ponto estava cheio decidiu entrar em contato com a ouvidoria do serviço para pedir ajuda, mas não teve sucesso.  “Eram 8h30 e já tinha uma fila imensa de gente esperando o  Transcol.  Então liguei e perguntei se eles não poderiam disponibilizar um ônibus especial porque haviam idosos e crianças de colo no sol quente no ponto de ônibus. Mas, ela falou que, infelizmente, não poderia colocar o ônibus especial porque não tinha fiscais para vir aqui. Aí registrei uma reclamação sobre essa demora”, disse o administrador.

Gustavo contou que no Transcol paga uma passagem de R$ 3,40, mas hoje foi obrigado a desembolsar R$ 9,15 para seguir viagem no Alvorada até o terminal de Itaparica para pegar mais um ônibus e assim conseguir chegar a tempo no  trabalho. Quem não tinha essa diferença de R$ 5,75  ou depende do passe livre, como no caso dos idosos, foi obrigado a esperar. 

“Para mim eles deveriam colocar mais ônibus porque até no intervalo normal de uma em uma hora o ônibus vai lotado. Tem  idosos e crianças em pé. É uma situação totalmente  inepta para o ser humano.  Já chego no trabalho estressado porque vou e volto em pé. Tenho uma deficiência na perna e é horrível essa situação”, desabafou o jovem.

O Portal 27 procurou a Companhia Estadual de Transportes Coletivos de Passageiros do Estado Do Espírito Santo (Ceturb) que é a responsável pelo Transcol, para saber porque a linha das 9h15 foi retirada e se não seria possível retomá-la. Mas, a assessoria da Ceturb explicou que como aos sábados não há expediente não é possível verificar questões administrativas e se comprometeu em nos dar um retorno na próxima segunda-feira.

Banner Marcelo
Institucional MAllagutti
Institucional Basic Idiomas

Padrão

1 COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here