O pastor acusado de ter matado a esposa na manhã de sábado(3), na cidade de Anchieta continua foragido. (Reveja aqui). João Pontes, que seria pastor da igreja Assembleia de Deus, teria estrangulado a esposa, Lilyan Nascimento e agredido a única filha do casal, uma bebê de 1 ano e 6 meses. A pequena continua internada em estado grave na Unidade de Tratamento Intensivo Infantil (UTIN) do Hospital Infantil em Vitória, com traumatismo craniano.

Lilyan, João e a filha do casal. Ainda não existem informações sobre por que ele fez isso. Foto arquivo pessoal.
Lilyan, João e a filha do casal. Ainda não se . Foto arquivo pessoal.

Na tarde de ontem (4) uma foto chegou a nossa equipe e também foi reproduzida por outros veículos de comunicação. A foto é de uma tela de celular, com uma mensagem de texto. Nela o pastor teria informado à família que iria se entregar para “pagar pelos erros”.

Celularpastor
A foto é de uma tela de celular, com uma mensagem de texto do pastor.

A cidade de Anchieta está de luto com o acontecido. Quem conhecia Lilyan, dizia que ela era uma pessoa maravilhosa. “Eu trabalhei com ela, muito gente boa, se dava bem com todo mundo. Ainda não acredito que esse monstro fez isso”, diz uma amiga que não quis se identificar.

Outro morador de Anchieta afirma que conheceu João e que ele não se apresentou como pastor. “Ele era pedreiro. Dizia ser evangélico, mas nunca disse que era pastor. Era um cara que conversava normal, queria até construir a minha casa”, disse. Apesar da mensagem, até o inicio da manhã de hoje, o pastor continua foragido.

Deixe seu comentário