Cinco pessoas foram presas na manhã desta sexta-feira (03), com meia tonelada de maconha, em um sítio em Buenos Aires, na zona rural de Guarapari. De acordo com informações da Polícia Civil, todos os suspeitos são do Rio de Janeiro e fazem parte de uma quadrilha que tem ligações com o Comando Vermelho e com o Primeiro Comando de Vitória.

A Delegacia de Tóxicos e Entorpecentes (Deten) recebeu a denúncia no início deste ano e investigava os suspeitos há três meses.
A Delegacia de Tóxicos e Entorpecentes (Deten) recebeu a denúncia no início deste ano e investigava os suspeitos há três meses.

Os detidos foram Arthur Cortez Falange Coelho, de 33 anos, Ruan da Fonseca Conceição, de 26, Ângelo de Andrade Chaves, de 41, John de Medeiros Silva, de 31, e Erick Antunes de Oliveira, de 33, que é apontado pela Polícia Civil como o responsável pela quadrilha. O sítio onde eles estavam foi alugado, mas o proprietário ainda não foi localizado.

A Delegacia de Tóxicos e Entorpecentes (Deten) recebeu a denúncia no início deste ano e investigava os suspeitos há três meses. Segundo o delegado Fábio Pedroto, os envolvidos vieram do Rio de Janeiro trazendo a droga em caminhões. Eles faziam a distribuição do entorpecente em toda a Grande Vitória. Além das drogas, eles forneciam armas para os grupos que atuam nos municípios vizinhos.

“Acreditamos que essa quadrilha já atua aqui no estado há meses e trouxeram toda a droga em caminhões. Eles distribuem parte da droga aqui em Guarapari e o restante nos outros municípios da Grande Vitória. Nós investigamos a fundo e hoje flagramos todos no sítio. Eles ainda possuem antecedentes criminais ligados ao tráfico de entorpecentes”, disse Pedroto.

Dentro do local os civis encontraram 500 quilos de maconha, três armas de calibre 12, uma pistola nove milímetros e uma arma de fabricação israelense, também de nove milímetros.
Dentro do local os civis encontraram 500 quilos de maconha, três armas de calibre 12, uma pistola nove milímetros e uma arma de fabricação israelense, também de nove milímetros.

Dentro do local os civis encontraram 500 quilos de maconha, três armas de calibre 12, uma pistola nove milímetros e uma arma de fabricação israelense, também de nove milímetros, munições, balança de precisão, material para embalo da droga e uma máscara que a polícia acredita ser utilizada para cometer crimes no balneário.

O delegado afirmou que todos vão responder pelos crimes de tráfico de drogas, associação ao tráfico com aumento de pena, porque era uma quadrilha que utilizava armas de fogo. Ruan vai responder ainda por resistência e Arthur por corrupção ativa. Eles serão transferidos amanhã, para o Centro de Triagem de Viana.

Pedroto ainda não descarta a participação de outras pessoas envolvida na quadrilha. “Nós estamos investigando a fundo ainda, porque acreditamos que tenha mais pessoas envolvidas com essa quadrilha. A prisão deles hoje, para a Polícia Civil e a sociedade, representa a força do nosso trabalho junto com a população”, enfatiza o delegado.

Deixe seu comentário