O Coronel Douglas Caus, comandante Geral da Polícia Militar do Espírito Santo, suspeito de violência doméstica contra sua esposa –  onde o filho do casal, denunciou por telefone que a mãe estava sendo agredida pelo comandante – irá permanecer no cargo até que a investigação da Polícia Civil esteja completa.

Coronel Douglas Caus, comandante Geral da Polícia Militar do Espírito Santo

Foi o que relatou o Secretário de Segurança Pública do Estado, Alexandre Ramalho. Segundo dados divulgados pelo jornal, o filho ligou para o Ciodes (190), dizendo que mãe estava sendo agredida pelo marido, o Coronel Douglas Caus.

Quando chegaram até o apartamento, os agentes não encontraram o coronel, apenas o filho, e a mãe, que se encontrava nervosa. Ainda segundo a reportagem, os militares ofereceram socorro médico e a condução à delegacia para elucidar o caso, a senhora, porém, recusou e pediu para que os policiais saíssem do local.

De acordo com A Gazeta, não é a primeira vez que ocorre a agressão, durante a Véspera de Natal de 2019 a esposa já tinha requisitado a presença de policiais no local, alegando que tinha sido agredida por Douglas, quando os agentes chegaram, a mulher não apresentava lesões e não quis ir à delegacia.

O secretário de Segurança Pública, Alexandre Ramalho, afirmou que antes de tomar qualquer atitude, irá esperar pelos resultados da investigação da polícia civil.

“Nossa equipe não compactua com nenhum tipo de violência. O que nos resta agora é apurar pelo intermédio da própria Polícia Civil. É importante a esposa e o marido declararem o que aconteceu para que, a partir daí, possa ser tomada alguma atitude. Vamos apurar todas as circunstâncias”, afirmou Alexandre Ramalho.

Por João Pedro Barbosa, estagiário