Com a chegada do horário de verão voltam à tona discussões acerca da economia de energia. Considerando o longo período de estiagem e o aumento anunciado de tarifa, esta é uma preocupação que afeta todos os setores da sociedade este ano.

lampada-led
As lâmpadas de LED vêm ganhando mercado e estão em ascensão.

Recentemente o brasileiro tem notado que uma das estratégias para reduzir as despesas na conta de luz é trocar a tecnologia de iluminação por outras mais eficientes. As lâmpadas de LED vêm ganhando mercado e estão em ascensão. Em 2013, o consumo deste tipo de lâmpada foi de 17 milhões, mais do que o dobro comercializado em 2012, segundo dados da Abilumi (Associação Brasileira de Importadores de Produtos de Iluminação).

ledlamp
Em 2013, o consumo deste tipo de lâmpada foi de 17 milhões, mais do que o dobro comercializado em 2012.

Isto ainda representa pouco diante de um mercado estimado em 300 milhões de unidades por ano, porém a Associação avalia que os preços do LED têm caído em torno de 50% ao ano em função da evolução da tecnologia e que se esse ritmo perdurar, no prazo de 3 anos uma lâmpada LED deverá custar o equivalente a uma fluorescente compacta.

Com a recente popularização do LED, por conta de seus preços mais acessíveis e durabilidade até 50 vezes maior que a incandescente, muitos consumidores têm migrado da incandescente diretamente para o LED, sem passar pela eletrônica. “Acreditamos que isso acontece porque a tecnologia ganhou competitividade, uma grande diferença de economia de energia e possui modelos variados para atender às diferentes necessidades do consumidor”, avalia o presidente da Lâmpadas Golden, Alvaro Diniz.

E razões para isso não faltam. A simples substituição da incandescente pela fluorescente compacta oferece uma economia de R$ 2 por ponto de luz ao ano. Se a residência tem 10 pontos de luz, a economia será de R$ 200 em um ano. No caso do LED esta conta é ainda mais vantajosa. “Cada ponto de luz com uma incandescente de 60W consome R$ 8,64 por mês, enquanto o modelo LED de 10W consome R$ 1,44 no mesmo período, uma economia mensal de 83%”, calcula Diniz.

A empresa afirma que o LED deverá representar 50% do valor das vendas de produtos de iluminação no Brasil em três anos, segmento este que corresponde atualmente por 21% dos negócios da empresa, com a meta de chegar a 60% em 2017. Nas residências, a iluminação é responsável por cerca de 20% do total de energia, atrás dos equipamentos elétricos e chuveiros.

Com informações da   www.lampadasgolden.com.br

Deixe seu comentário