Tumulto, gritaria, palavras de ordem. Teve de tudo na sessão extraordinária que aconteceu hoje cedo na Câmara de Vereadores de Guarapari. Em pauta estavam projetos polêmicos, como o aumento de 7,5% no salário dos professores da rede municipal e dois projetos que regulamentam e abrem caminho para a municipalização do trânsito em Guarapari.

A sessão começou por volta das 9h30 com a audiência lotada por professores da rede municipal. Em pauta o aumento de 7,5% nos vencimentos dos professores. Como a categoria pede um aumento de 10,37%, para igualar os salários ao piso nacional, eles eram contrários à aprovação do Projeto de Lei, que é de autoria da prefeitura.

Professores lotaram a Câmara para acompanhar a votação. Foto: João Thomazelli/Portal 27
Professores lotaram a Câmara para acompanhar a votação. Foto: João Thomazelli/Portal 27

Depois de muito debate, os vereadores e professores chegaram ao consenso de botar o projeto em votação nominal, que é quando cada vereador vai à tribuna e diz o seu voto.

A votação foi apertada, ficando empatada em oito votos a favor do aumento e oito contra. A decisão ficou por conta do presidente da Câmara, vereador Wanderlei Astori (PDT), que votou a favor do aumento de 7,5%.

A cada vereador que votava, os professores se manifestavam. Os que votaram contra o aumento eram elogiados e os outros vaiados. A vereadora Paulina Aleixo (PP) chegou a ser chamada de traidora pelos professores, já que ela foi professora e diretora de escola por vários anos.

Os vereadores que votaram a favor do aumento foram: Anselmo Bigossi (PTB), Germano Borges (PSB), Jair Gotardo (PDT), Jorge Ramos (PPS), Lincoln Bruno (PTN), Marcial Souza – Dito Xaréu (SDD), Paulina Aleixo (PP), Sergio Ramos (PMDB) e Wanderlei Astori (PDT).

Os vereadores que votaram contra o aumento da prefeitura foram: Fernanda Mazzelli (PSD), Gedson Merízio (PSB), Jorge Figueiredo (PP), Manoel Couto (PT), Oziel Sousa (PPS), Rogério Aratú (PV), Ronaldo Tainha (PRP), Thiago Paterlini (PMDB).

O Sintrag era contra o Projeto de Lei que cria 30 cargos comissionados. Foto: João Thomazelli/Portal 27
O Sintrag era contra o Projeto de Lei que cria 04 cargos comissionados. Foto: João Thomazelli/Portal 27

O resultado desfavorável deixou os professores desanimados. Uma professora chegou a passar mal na frente da Câmara. Os professores vão continuar com a operação tartaruga nas escolas e na próxima sexta-feira realizam nova assembleia para decidir os rumos da greve.

Municipalização do trânsito

Ainda durante a sessão extraordinária de hoje, os vereadores votaram duas leis que regulamentam a municipalização do trânsito em Guarapari.

O Projeto de Lei Complementar 007/2015 alterou a estrutura da Secretaria de Fiscalização e criou 04 cargos comissionados para atuarem em várias funções relacionadas ao trânsito.

Já o Projeto de Lei 071/2015, modificou a nome dado às funções de Fiscal de Trânsito e Fiscal de Transporte Urbano, que agora passam a ser Agente Municipal de Trânsito e Transporte.

O Sintrag, sindicato que representa os servidores de Guarapari, era contra a aprovação da primeira matéria. “A prefeitura diz que não tem dinheiro para dar aumento aos servidores. Como então ela vai criar mais cargos comissionados dentro da administração pública?”, disse Rosemary Abud, diretora do Sintrag.

Mas apesar da resistência de alguns vereadores, as duas matérias foram aprovadas e agora seguem para a sanção do prefeito de Guarapari.

Veja um vídeo de um dos trechos da sessão de hoje na Câmara de Guarapari.

*Atualizado às 13h54 do dia 21 de maio de 2015.

Deixe seu comentário

Comments are closed.