Um crime que chocou Guarapari completou nesta semana um ano. No dia 14 de abril de 2014 o casal de namorados Lorrayne Santiago Vieira, 16, e Fábio Kil, 21, foram encontrados mortos nas Três Praias, em Guarapari. Fábio foi morto com um tiro no rosto e Lorrayne, que também foi baleada com um tiro na nuca, morreu afogada. (Reveja Aqui)  

Poucos dias depois da morte do casal, quatro homens foram apontados como suspeitos do crime, inclusive o ex-namorado de Lorrayne, Valbert Ramos Pires, de 21 anos, que de acordo com a polícia, não aceitava o fim do romance entre os dois e arquitetou o crime.

lorrayne-e-fábio-outdoor4
A família colocou um outdoor para homenagear os dois e pedir justiça.

Os outros acusados de participação no crime são Carlos Henrique Vicente Macedo, conhecido como “Tim Maia”, Mateus Montenegro Jesus e Allan dos Santos. Os acusados foram presos 36 dias depois do começo das investigações.  Veja aqui:  Polícia conclui inquérito e indicia quatro suspeitos pela morte de casal em Guarapari

Desde o começo das investigações sobre a morte do casal, os indícios apontavam para um crime passional. A Delegacia de Crimes Contra a Vida de Guarapari chegou a ouvir Valbert no dia em que os corpos foram encontrados.

No dia 10 de outubro de 2014, os quatro acusados foram soltos pela Justiça. O juiz, na época justificou a soltura dizendo que não havia indícios de que os réus, se soltos, iriam prejudicar a instrução criminal ou a aplicação da lei penal e nem afetar a garantia da ordem pública. Mas em novembro os acusados voltaram para a prisão e agora aguardam o julgamento.

Há um ano Fábio e Lorrayne foram encontrados mortos em Guarapari.
Há um ano Fábio e Lorrayne foram encontrados mortos em Guarapari.

Saudade. Para os familiares do casal assassinado, ficou a saudade e o desejo de justiça. Irmã mais velha de Lorrayne, a vendedora Olívia Maria Santiago Santana, desabafa: “Já se passou um ano da morte da minha irmã, mas parece que nós ainda estamos vivendo aquele dia. É uma dor imensa que nunca vai passar e é muito difícil ter que aprender a viver sem ela. A minha mãe é a que mais sofre. Você olha para ela e só consegue ver sofrimento”, disse emocionada.

A família de Lorrayne colocou um outdoor próximo à ponte do Centro de Guarapari para homenagear o casal e lembrar o aniversário da morte dos dois.

“Eles (os acusados) estão presos e esperamos que a Justiça seja feita. Se não a dos homens, mas a de Deus. Eles têm que pagar pelo que fizeram”, finalizou Olívia.