Sete meses após descobrir que a empresa Rumin Eventos fechou as portas e não iria mais realizar o baile de formatura contratado, uma turma de engenharia civil da Faculdade Pitágoras conseguiu ter a tão sonhada festa. O evento aconteceu na última sexta-feira (25) na Lua Azul.

A formanda Cíntia Rocha Gomes contou que na turma dela cerca de 40 pessoas tinham contratado o serviço da empresa. Inconformada com a impossibilidade de não poder realizar esse sonho ela teve a iniciativa de ligar para a Lua Azul, local onde o evento realizado pelo Rumin deveria acontecer, para saber o valor do aluguel da casa e assim tentar organizar uma nova festa.

“O Nine, dono da Lua Azul, me atendeu superbem e marcou uma reunião comigo. Para minha surpresa, na reunião estavam além do Nine, o Wackls, dono da New Place Band, e o Zé Antônio, dono da Village Eventos. Eles eram as pessoas contratadas para as festas que a Rumin fazia e eles me deram a ideia de fazer uma festa a preço de custo para nos ajudar a realizar o nosso sonho”.

Após sete meses depois do calote, os universitários conseguiram ter o tão sonhado baile de formatura. O evento aconteceu na Lua Azul na última sexta-feira (25), isso porque tudo saiu a preço de custo.

Segundo ela, os empresários também vão ajudar uma outra turma que vai colar grau em março do ano que vem. A formanda contou ainda que todos os estudantes da sua turma que foram vítimas do calote participaram do evento. “Como foi um valor irrisório todo mundo conseguiu participar”.

“Nossa festa foi maravilhosa. Nunca fui em uma formatura com tanta organização, tanta delicadeza em cada pedacinho de tudo o que foi feito. Eles surpreenderam a gente e foram além do que estávamos esperando. A gente não sabe nem como agradecer. Estava tudo muito bem pensado para receber a gente da melhor forma. Eles fizeram uma festa que a Rumin não fazia porque a da empresa era muito menor do que a fizeram para a gente. A nossa festa teve cinco horas de duração e a da Rumin era apenas quatro horas. Está todo mundo encantado com a festa, com o atendimento, a comida e as bebidas. Foi tudo impecável”, relatou a formanda.

“A festa não poderia ter sido melhor. Fui muito bem atendida. A comida e a Lua Azul estavam maravilhosas. A festa estava muito bem organizada e foi incrível. A Cíntia foi quem correu atrás e ela e as pessoas que ajudaram estão de parabéns. Estamos muito agradecidos”, disse a formanda Jessica Vaneli.

Cíntia afirmou que convidou outras turmas para participar do evento. “Abri a oportunidade para todas a vítimas do golpe que conhecia e tinham se formado no final do ano. Mas muita gente não pode participar porque estava tudo muito recente e não tinham condições financeiras para arcar com mais um custo. Uma amiga minha que se formou em enfermagem participou com a gente”.

Ressarcimento.Ela disse ainda que até hoje ninguém foi procurado pelos donos da empresa e que já não tem mais esperança de ser ressarcida. “Ninguém nos procurou e acho impossível a gente receber porque antes da gente tem também os fornecedores que foram lesados também. A gente sabe que se chegar a sair esse dinheiro, até chegar a gente vai ter que passar por muita gente antes e como são muitos alunos vai ser praticamente impossível esse valor chegar até a gente. É muito triste porque eram aproximadamente R$ 4 mil de cada aluno”.

De volta. A formanda também relatou que a proprietária da Rumin está de volta à cidade. “A dona da empresa foi vista na cidade duas vezes, mas infelizmente não podemos fazer nada. A polícia até em tão também não pode fazer nada porque ela não é considerada foragida ainda.

A reportagem do Portal 27 tentou ouvir os responsáveis pela empresa para saber se os universitários serão ressarcidos, mas não conseguimos contato.

Deixe seu comentário