Amigos e familiares de João Roberto Correa, 36 anos, vão realizar na tarde de hoje, um protesto contra a morte do faixa preta de jiu-jiitsu João Neguinho. O lutador foi morto a tiros na madrugada de segunda-feira e o autor da morte se apresentou na 5ª Delegacia Regional de Guarapari, mas não ficou preso.

Segundo o delegado titular da Delegacia de Crimes Contra a Vida, Tarik Souki, o autor do crime não ficou preso porque ele se apresentou após o período de flagrante e não havia nenhum mandado de prisão contra ele.

A manifestação que terá início às 15h no Posto Dino, no Centro, é pela impunidade do criminoso. Familiares e amigos vão caminhar até a porta do fórum para pedir pela prisão do comerciante.

O autor do crime é o sócio proprietário de um bar que fica próximo ao local do crime. O homem foi indiciado por homicídio qualificado por motivo fútil e, somente o juiz poderá decidir pela prisão dele.

À polícia, ele confessou ter matado o lutador por causa de uma briga que começou dias antes dentro do bar. No dia do crimes eles teriam se desentendido mais uma vez, e o lutador foi morto com cinco tiros.

Deixe seu comentário