Desde que a nova rodoviária do município foi inaugurada, o antigo terminal da Itapemirim, que fica no bairro Muquiçaba foi desativado. O problema é que pouco tempo depois o local passou a ser frequentado por moradores de rua, usuários de drogas e até como ponto de prostituição.

A reportagem do Portal 27 esteve no local e verificou que a porta de um dos banheiros, que era protegida com grade, foi arrombada. Lá dentro o que se vê é muito lixo e papel queimado, sem falar no cheiro de urina e fezes, que é quase impossível de suportar.

O banheiro da antiga rodoviária foi invadido e está cheio de lixo e papel queimado. Foto: João Thomazelli/Portal 27
O banheiro da antiga rodoviária foi invadido e está cheio de lixo e papel queimado. Foto: João Thomazelli/Portal 27

Nas plataformas, preservativos usados estão jogados pelo chão e alguns moradores de rua, mesmo de dia, usam o lugar como abrigo. “Camas de papelão” estão em vários pontos, dando a entender que ali existem moradores fixos, que buscam na proteção da cobertura um lugar para se proteger da chuva e do frio.

“Isso aqui a noite é difícil. É só começar a escurecer que eles começam a aparecer. Alguns batem no nosso portão pedindo comida. Mas lá na rodoviária eu não sei o que acontece”, explicou uma vizinha da antiga rodoviária.

O local virou ponto de uso de drogas e prostituição. É normal ver moradores de rua dormindo ali. Foto: João Thomazelli/Portal 27
O local virou ponto de uso de drogas e prostituição. É normal ver moradores de rua dormindo ali. Foto: João Thomazelli/Portal 27

Já os taxistas e comerciantes que trabalham próximos ao local são mais enfáticos. “Isso virou uma cracolândia. É travesti fazendo programa, gente fumando pedra. Está difícil isso aqui à noite”, comentou um dos taxistas que trabalha num ponto de táxi próximo da antiga rodoviária.

A Polícia Militar informou que faz patrulhamento diariamente na região para coibir práticas ilícitas. Já a prefeitura de Guarapari disse em nota que hoje mesmo fez abordagens nas ruas do município e encaminhou 12 pessoas para suas cidades de origem e que vai notificar o proprietário do terreno para que sejam feitas intervenções para coibir a ocupação do local.

Tentamos entrar em contato com a assessoria de comunicação da Viação Itapemirim, mas não obtivemos sucesso nem por e-mail e nem por telefone.

Preservativos usados e lixo estão espalhados por onde antes embarcavam os passageiros. Foto: João Thomazelli/Portal 27
Preservativos usados e lixo estão espalhados por onde antes embarcavam os passageiros. Foto: João Thomazelli/Portal 27

Veja na íntegra a nota da prefeitura:

“A Prefeitura irá notificará o proprietário para realizar o bloqueio do acesso à estrutura. Hoje, o município realizou intervenção por meio de abordagem da Casa Dia e foram encaminhadas 08 pessoas para João Neiva e 04 para Belo Horizonte

Vale ressaltar que todos os dias a equipe da Casa Dia circula pela cidade identificando essas “pessoas em situação de rua”, realizando a abordagem das pessoas e orientando a se dirigirem à Casa Dia. Lá é oferecido higienização, refeição e triagem para possível encaminhamento à sua região de origem ou a reinserção no mercado de trabalho. Ocorre que muitos deles são reincidentes e outros recusam o auxílio. Neste caso cabe preservar o direito constitucional de ir e vir.

O problema, entretanto, é agravado pela própria população. Segundo essas pessoas em situação de rua, a população local oferece farta alimentação, roupas, colchões, além de dinheiro, gerando grande comodidade para que permaneçam nestes locais.

"Camas" de papelão ficam espalhadas pela antiga plataforma de embarque. foto: João Thomazelli/Portal 27
“Camas” de papelão ficam espalhadas pela antiga plataforma de embarque. foto: João Thomazelli/Portal 27

A Secretaria Municipal de Trabalho, Assistência e Cidadania pede para quem quiser colaborar com doações, entrar em contato buscando uma forma regular e evitar a permanência das pessoas em situação de rua. Denúncias podem ser feitas à Casa Dia através do telefone 3262-1220”.