netloid_woman-hospitalised-after-excessive-whatsapp-typing-whatsappitis-is-a-real-thingCom o avanço tecnológico da internet e da tecnologia em si, veio à aparição de aplicativos para celulares Smartphones. Com a facilidade e a necessidade de se comunicar com mais fluidez, o ucraniano Jan Koum, criou o WhatsApp Messenger. Um aplicativo de mensagens multiplataforma que permite trocar mensagens pelo celular sem pagar por SMS.

Está disponível para iPhone, BlackBerry, Android, Windows Phone, e Nokia e sim, esses telefones podem trocar mensagens entre si! Além das mensagens básicas, os usuários do WhatsApp podem criar grupos, enviar mensagens ilimitadas com imagens, vídeos e áudio.

Com todo esse bombardeio de conhecimento e facilitação para o dia a dia dos brasileiros, é preciso tomar muitos cuidados com o que recebemos nesse imenso mundo de lixo eletrônico. Na internet, não é apenas nos emails que somos alvos de vírus e trotes, as redes sociais estão virando um meio mais amplo de realizar “pegadinhas”. Isso consequentemente atrapalha o trabalho da Polícia, Imprensa e até mesmo da população que se mobiliza em busca de ajudar. Mas de onde vêm tantas informações falsas?

Screenshot_2014-07-09-16-52-43Todos os dias acostumados a lidar com diversos trotes telefônicos, a Polícia Militar de Guarapari, agora, tentam driblar um outro tipo de comunicação de falso crime e de informação: o uso das redes sociais, que mobilizam centenas de pessoas, que alastram boatos e mentiras.

Essa semana, circulou a informação de que um rapaz que não foi identificado, teria seu carro roubado no Centro de Guarapari, e seu filho tinha ido dentro do veículo, junto com o assaltante. Logo a informação se alastrou pelas redes sociais e foi compartilhada por milhares de pessoas. A Polícia negou a informação.

O Capitão Carlos Palaoro, do 10° batalhão, disse que hoje somos bombardeados por informações e que as pessoas não questionam qual a procedência. Elas devem ligar para o 190 e não repassar a mensagem.

Passar trote para o serviço de emergência é crime previsto no Código Penal Brasileiro
Passar trote para o serviço de emergência é crime previsto no Código Penal Brasileiro

“Nós estamos passando por uma fase de lixo eletrônico, se a pessoa acha que pode ajudar, imediatamente ela deve ligar para a polícia, através do número 190 e passa a informação. A polícia se encontrar alguma situação, ela vai abordar. Porque ela esta aí para atender a população. Não multiplique a mensagem, não repasse de maneira alguma, porque a partir de uma ligação para o 190, já estará no sistema e as viaturas foram acionadas”. Afirma Palaoro.

Trote é crime

Passar trote para o serviço de emergência é crime previsto no Código Penal Brasileiro, nos artigos 266 e 340, que preveem detenção de um mês a três anos e multa, dependendo do caso.

Deixe seu comentário