Uma mãe desesperada e já sem saber o que fazer pede ajuda em Guarapari. Maria Aurora Pereira Lima, de 58 anos, faz um apelo para conseguir internar seu filho, Leandro Pereira Lima, de 35 anos, que tem esquizofrenia e também  problemas com drogas.

A mãe pelou na justiça para conseguir a internação do filho que tem esquizofrenia e problema com drogas.

Surto. Leandro teve nesta segunda-feira (26), um novo surto que deixou a família apavorada. Aurora conta que teve que se trancar na casa da mãe com medo que ele a atacasse. “Moramos todos no mesmo quintal, no surto de ontem ele subiu na casa da minha mãe e conseguiu quebrar a porta, que já tem grades por causa dele. Estávamos eu, minha mãe de 84 anos e minha neta de 12, imploramos para que ele não entrasse. De tanto pedir graças a Deus ele não entrou. Estávamos em pânico com medo que pudesse nos agredir”, conta a mãe.

Durante o surto, mesmo com a grade, ele conseguiu arrebentar a porta da casa da avó

A mãe conta ainda que ele tentou invadir a casa de um vizinho. “Antes de tentar entrar na casa da minha mãe, ele quebrou a janela do vizinho, que eu tinha acabado de pagar para trocar, porque ele já havia feito a mesma coisa anteriormente”, comenta.

Violência. Aurora conta que ele tem um histórico violento com a família. “A mim ele já agrediu várias vezes, da última ele me deu uma gravata, e se não fosse meu irmão estar no quintal ele teria me matado. Mas ele já tentou agredir minha mãe, bateu na minha irmã. Nesta semana ele está implicando muito com o tio dele, já não sei o que posso fazer para evitar que o pior aconteça”, conta.

E fala que os surtos não são direcionados apenas a família. Há cerca de 3 anos Leandro deu um golpe de facão em um polícia militar. “Eu tenho muito medo que alguma coisa aconteça com ele, a situação está ficando fora do controle. Já chegou a dar uma facada num PM, quebrou a cabine do pedágio, já agrediu vários vizinhos”, relata.

A mãe diz que ele não aceita fazer o tratamento. “Quando ele vai no médico, toma remédio durante uma semana, mas nunca continua, e não há quem faça ele tomar, ele fala que não é doido para ficar tomando remédios. Só quando ele tem esses surtos dele, que aí vai para Upa e injetam na veia, mas fora isso ele não toma”, ressalta.

Internação. Aurora conta que não aguenta mais passar por essa situação. “Eu já não sei o que fazer, cada ano que passa ele fica mais violento. Eu tenho medo que ele possa fazer alguma coisa séria com alguém ou então que aconteça alguma coisa com ele. Além da esquizofrenia, ele ainda se envolveu com drogas o que piora muito todo o problema. Preciso que ele seja internado mesmo que seja contra sua vontade, é a única solução que vejo”, lamenta.

Leandro destruiu a parede da própria casa.

De acordo com Aurora, Leandro faz o tratamento no Caps, mas não toma o medicamento. Como é maior de idade e recusa a intervenção médica, só pode ser internado com a autorização da justiça. “Estou com um processo desde 2016 para interná-lo, mas é muito devagar essa questão de justiça, mas ele precisa receber o tratamento, ele não consegue fazer sozinho”, diz a mãe.

O Portal 27 procurou a prefeitura para saber sobre o tratamento de Leandro no Caps, que informou através de nota, que “A Secretaria Municipal de Saúde informa que o paciente recebe acompanhamento no Caps Guarapari com o psiquiatra e o clínico geral da unidade. A sua última consulta aconteceu neste mês e o mesmo recebeu todas as receitas necessárias para pegar os medicamentos dos quais ele faz uso. Quanto a internação, o familiar responsável precisa procurar a Defensoria Pública, pois a compra de vaga é de única responsabilidade do Governo do Estado”, afirmou a prefeitura.

Procuramos também o Tribunal de Justiça do Estado do Espírito Santo (TJES), para checar o andamento do processo que a mãe moveu para a internação compulsória de Leandro, mas a assessoria de imprensa disse, através de nota, que “O processo tramita em segredo de justiça”, explicou o TJES.

Deixe seu comentário

Comments are closed.