Uma dupla vestida de terno e gravata cometeu uma série de crimes graves em menos de 20 minutos na tarde de hoje em Guarapari. Os suspeitos assaltaram um restaurante, balearam um ciclista na fuga e ainda tomaram um motorista como refém.  Eles foram presos pela Polícia Militar.

Por volta das 15h30 da tarde de hoje, Geanderson da Silva Firmino, 20 anos, e Marcos Santos Souza, 18 anos, entraram em um restaurante no bairro Aeroporto e se passaram por vendedores. Eles pediram para falar com a proprietária do estabelecimento, dizendo que queriam mostrar um produto para ela.

Marcos Santos Souza (e) e Geanderson da silva Firmino assaltara, balearam um ciclista e tomaram um motorista como refém. Fotos: João Thomazelli/Portal 27
Marcos Santos Souza (e) e Geanderson da Silva Firmino assaltara, balearam um ciclista e tomaram um motorista como refém. Fotos: João Thomazelli/Portal 27

“Eles disseram que eram vendedores, mas como a proprietária estava nos fundos do restaurante resolvendo problemas, disse que ela não estava, para não incomodá-la. A mãe da minha patroa estava próximo e eles então disseram para ela que era um assalto”, contou uma das funcionárias.

Quando os bandidos anunciaram o assalto, o filho da proprietária estava brincando debaixo de uma das mesas do estabelecimento e foi alertado por outra funcionária para que pedisse ajuda.

As armas usadas pelso bandidos engravatados foram apreendidas. foto: João Thomazelli/Portal 27
As armas usadas pelso bandidos engravatados foram apreendidas. foto: João Thomazelli/Portal 27

O marido da dona do restaurante que estava em uma loja ao lado foi quem soube do assalto, através do filho, e chamou a polícia. “Meu filho chegou dizendo que tinha gente roubando o restaurante. Eu fui olhar, mas nesse momento alguém estava abaixando a porta de aço. Imediatamente eu liguei para a polícia”, contou o homem, que é contador.

Dentro do restaurante os assaltantes pediram pelo malote de dinheiro, sabendo que hoje era dia de pagamento dos funcionários. Como não havia mais dinheiro, os assaltantes começaram a saquear as vítimas, pegando anéis, cordões, relógios e celulares.

Depois de preso, Marcos contou à polícia que já havia morado próximo ao restaurante e que conhecia a rotina de pagamentos do estabelecimento.

Tiros e refém

Marcos disse que morou próximo ao restaurante e conhecia a rotina de pagamento. Foto: João Thomazelli/Portal 27
Marcos disse que morou próximo ao restaurante e conhecia a rotina de pagamento. Foto: João Thomazelli/Portal 27

Os bandidos engravatados fugiram pela saída dos fundos do restaurante. Operários que trabalhavam em uma obra ali perto viram que se tratava de assaltantes e começaram a gritar “pega ladrão!”.

Os assaltantes assustados efetuaram um disparo a esmo, e acabaram acertando um morador do bairro que passava de bicicleta indo trabalhar.

Ainda em fuga, os bandidos passaram por um beco e ao chegarem próximo da pista de pouso do aeródromo de Guarapari tomaram outro morador de refém.

“Eu estava me preparando para sair de carro quando eu vi os dois correndo. Achei estranha a cena, pois os dois estavam bem vestidos. Eles tentaram passar pela cerca do aeroporto, mas me viram e voltaram”, contou a vítima.

Os bandidos entraram no carro e apontando a arma para o motorista, obrigaram ele a sair com o veículo, mas poucos metros depois o carro foi parado pela polícia, que já estava no encalço dos criminosos.

O restaurante que foi alvo dos assaltantes fica há menos de 50 metros da sede do 10º Batalhão da Polícia Militar. Foto.; João Thomazelli/Portal 27
O restaurante que foi alvo dos assaltantes fica há menos de 50 metros da sede do 10º Batalhão da Polícia Militar. Foto.; João Thomazelli/Portal 27

“Logo depois que fomos acionados pelo Ciodes, percorremos as ruas próximas ao local do assalto e minutos depois nos deparamos com os meliantes com o motorista que tinha sido tomado como refém”, contou o aspirante a oficial Grassi.

O ciclista foi baleado na perna. Ele foi identificado como Luiz Fernando Madeira. Ele foi socorrido pelo Samu para a Unidade de Pronto Atendimento da cidade. A bala ficou alojada na perna, mas de acordo com informações da polícia, ele não corre risco de morte.

Deixe seu comentário