Está na cadeia o autor do disparo que atingiu e matou Ana Beatriz Pereira Frade, de 17 anos, na manhã do último sábado (07), no Rio de Janeiro. A adolescente, que morava em Guarapari, foi à cidade carioca fazer uma surpresa para a mãe. Ela morreu durante um arrastão no bairro Del Castilho. Dois menores também foram apreendidos e ainda debocharam da morte da jovem.

Foi através do relato de uma policial militar que teve o carro roubado no arrastão que os policiais do 44º Departamento de Polícia, de Inhaúma, prenderam Douglas Paiva Santos Ventura da Silva, vulgo “Dodô”, de 18 anos, e apreenderam outros dois menores de 17.

Douglas foi preso neste domingo Foto Cléber Júnior Extra
Policiais prenderam Douglas Paiva Santos Ventura da Silva, vulgo “Dodô”, de 18 anos . Foto: Cléber Júnior / Extra

O delegado responsável pelo caso, Roberto Ramos, disse que foram encontradas, nos celulares dos menores, conversas com Douglas alertando sobre a morte da jovem e que a Polícia Civil estava atrás deles.

“As evidências estão todas voltadas para eles. Nós o encontramos na comunidade de Fernão Cardim, que fica próximo ao local onde aconteceu o crime. Eles não expressaram nenhum arrependimento, chegaram até a negar o crime, mas temos certeza de que quem atirou na jovem foi o Douglas. Um dos menores possui participação e outro revelou cometer roubos ali” disse Roberto.

A arma utilizada no crime foi um revólver calibre 38. O tiro atingiu a cabeça da vítima. Ela estava sentada no banco do carona, dentro de um Pajero prata. Quem dirigia o veículo era o padrasto da adolescente. Os dois seguiam em direção à casa da mãe da vítima, quando foram surpreendidos pela ação de quatro homens armados, que tentaram roubar o carro.

arrastao1
Carro que foi atingido por tiros durante arrastão em Del Castilho. Adolescente morreu – Foto: Adalberto Neto / O Globo

“Eram quatro homens que tentaram roubar o carro. De acordo com as informações, o padrasto tentou fugir do bloqueio e os criminosos atiraram. No relato, a PM confirmou que viu Douglas portando uma arma de fogo”, contou o delegado. Algemados dentro da delegacia, os bandidos riram ao saber da morte da menina.

O revolver, segundo o delegado, ainda não foi encontrado, mas os bandidos avisaram onde estava a arma. As equipes já possuem as identificações dos dois coautores do crime.

Douglas será autuado por associação criminosa, roubo – pois durante os assaltos levaram o veículo da policial militar – e latrocínio. Os menores vão responder por ato infracional por análogo ao crime de latrocínio.

“Eles roubam em busca de dinheiro fácil”, diz delegado

Mesmo sem passagens pela polícia, Douglas Paiva Santos Ventura da Silva, vulgo “Dodô”, de 18 anos e os outros dois menores de 17 anos – apreendidos pela Polícia Civil carioca – praticavam diversos assaltos na região da linha amarela.

Segundo o delegado do 44º Departamento de Polícia, de Inhaúma, Roberto Ramos, “eles roubam em busca de dinheiro fácil”. Roberto contou que a família dos detidos sabia que eles tinham envolvimento com roubos.

O delegado Roberto Ramos titular da 44ª DP Foto Fabiano Rocha
“Eles roubam em busca de dinheiro fácil”. Foto: Fabiano Rocha

“Eles são rapazes novos. As famílias deles admitiram que eles possuem uma prática e costume de cometer esses tipos de crimes. Familiares disseram ainda que os meninos acabaram se perdendo no mundo e começaram a voltar para essa prática de arrastões nessa vida fácil, para eles, a fim de roubar”, revelou o delegado.

Os adolescentes confessaram aos policiais que o grupo costumava praticar os assaltos com simulacros de arma de fogo na região. A ação do último sábado seria uma das primeiras que um dos jovens estava portando um revolver de verdade. Ainda segundo a polícia, os suspeitos não têm ligação direta com o tráfico de drogas da região e dividiam entre eles os materiais roubados.

Ana
Amigos de Ana Beatriz foram para a celebração vestidos de branco como forma de luto.

Por meio de nota, a assessoria da Polícia Militar do Rio de Janeiro informou que o comando do Batalhão de Policiamento em Vias Expressas (BPVE), realiza policiamento nas Linhas Vermelha, Amarela e Avenida Brasil pelo período de 24 horas com rondas de viaturas e pontos de baseamento de acordo com a incidência da mancha criminal.

Velório. O corpo da adolescente Ana Beatriz foi velado e enterrado no Cemitério Municipal de Petrópolis, na região serrana do RJ. O velório começou logo pela manhã e foi fechado para amigos e parentes da jovem. O enterro, que foi às 14h, reuniu cerca de 100 pessoas e houve muita comoção. A imprensa esteve no local, mas, abalados, nenhum parente da vítima quis se manifestar sobre o fato.

Ontem à noite, durante a missa na Igreja Matriz Nossa Senhora da Conceição, em Guarapari, amigos de Ana Beatriz foram para a celebração vestidos de brancos como forma de luto pela morte da adolescente.