Policiais civis de Mimoso do Sul em conjunto com o Ministério Público prenderam, na noite dessa quarta-feira (20), L.M.F.G., 45 anos, suspeita de desviar aproximadamente R$ 600 mil do Instituto de Previdência do município. A mulher foi detida em sua residência, no bairro Alto São Sebastião, em Mimoso do Sul.

De acordo com titular da Delegacia de Polícia (DP) de Mimoso do Sul, delegado Rômulo Carvalho Neto, do total desviado, cerca de R$ 450 mil foi em dinheiro e o restante em compras e prestações de serviços sem licitação feitos por L.M.F.G. “As investigações começaram após a suspeita utilizar um cheque da instituição no valor de R$ 800 para pagar a conta de um salão de beleza, em Vitória”, disse o delegado.

chefatura_pcRômulo Carvalho informou que as investigações apontaram outras nove pessoas envolvidas no esquema. “A partir dos relatos de algumas testemunhas e das análises de documentos apreendidos no Instituto foi possível comprovar o desvio de dinheiro”, ressaltou o responsável pela operação.

O delegado informou que L.M.F.G. era funcionária concursada e efetiva da Prefeitura de Mimoso do Sul e que está na direção do Instituto, desde a criação do órgão em 2006. “Em 2012, ela foi indicada por falsificação documental por ter alterado a lei de criação do Instituto e foi exonerada no mesmo ano por força da decisão judicial de ação de improbidade administrativa movida pelo Ministério Público”, afirmou Rômulo Carvalho que acrescentou que em 2014, L.M.F.G. foi condenada, em 1ª instância, pelo crime de falsificação de documentos e está recorrendo da decisão.

Todos os envolvidos foram indiciados por peculato, sendo L.M.F.G. indiciada 278 vezes pelo crime e 12 vezes pelo crime previsto no artigo 89 da lei de licitações que diz sobre a dispensa ou inexigibilidade de licitação.
L.M.F.G. foi encaminhada ao Centro de Detenção Provisória (CDP) de Cachoeiro de Itapemirim, onde permanece à disposição da Justiça.

Deixe seu comentário