Os moradores da rua Gualtemar Soares, no bairro Jardim Europa, estão virando reféns dentro de suas próprias casas. O problema não é a insegurança, mas a infestação de mosquitos causada pela existência de um valão que há anos incomoda os moradores.

A cuidadora de idosos Maria Oliveira da Silva, de 56 anos, é uma dessas pessoas. “Cinco horas da tarde temos que fechar as casas e não abrir por nada porque se abrir, não conseguimos dormir à noite. Mesmo assim ainda tem mosquito que consegue entrar nas casas. Nem sei por onde conseguem porque colocamos pano em baixo das portas e telas nas janelas”.

Ela relatou que mora no local há 7 anos e quando se mudou para lá o problema já existia, mas até hoje nada é feito para resolver. “Os mosquitos estão infernizando a gente. Aqui não passa o carro fumacê e quando ele vem no bairro só passa as ruas principais. Não vem até o final, onde a vala está aberta”.

Segundo ela, os moradores chegaram a realizar um abaixo-assinado pedi a solução do problema. “A gente reclama direto na prefeitura. Já foi feito um abaixo-assinado que não adiantou. Eles vêm aqui, olham e vão embora. Nunca fazem nada”, disse Maria indignada.

A moradora afirmou que sua neta e alguns moradores estão tendo problemas de saúde por conta dos mosquitos. “Os mosquitos estão acabando com a população aqui. Está todo mundo doente com o tanto de remédio de mosquito que temos que colocar dentro de casa. A pele está toda cheia de ferida e empolada. Tenho três netas e a menor, de 5 anos, está cheia de feridas no corpo. Ela foi levada ao médico esses dias. Eu mesma estou cheia de problemas de saúde. É uma coceira no corpo que não aguento. Isso já é alergia as picadas dos mosquitos e aos remédios que a gente passa dentro de casa”.

Segundo a moradora, ela, sua neta e alguns vizinhos estão tendo problemas de saúde por conta das picadas dos mosquitos. Fotos: Arquivo Pessoal

Ela disse ainda que quando chove os moradores passam pelo transtorno de ver a água do valão quase invadindo suas casas. “O mato está tomando conta da rua e quando chove a vala transborda e vem até no portão das casas. A gente tem que sair com a água de esgoto no joelho”.

Maria disse que chegou a ir embora do bairro por conta do problema, mas acabou precisando voltar. “Meu filho mora em cima da minha casa e foi embora com medo das filhas ficarem doentes. Mas como ele trabalha na Praia do Morro precisou voltar porque aqui é dá acesso direito para lá. Eu também fiquei seis meses fora. Voltei há dois meses e o problema continua do mesmo jeito”.

“Tem cobra que saí de dentro da vala e vem para o quintal. Temos que ficar enfiando pano em baixo das portas porque é esgoto a céu aberto e de lá saí tudo quanto é imundice. O mal cheiro é terrível e vai para dentro dos ralos da casa. A gente tem que estar sempre tampando com pano ou plástico. Na hora das refeições é terrível. As pessoas de fora não fazem ideia”, relata a moradora.

A moradora também reclamou o mato está tomando conta do local. Foto: Arquivo Pessoal

O Portal 27 procurou a prefeitura para saber porque o carro fumacê não passa no local, quando a capina será realizada e se existe previsão de quando o valão será manilhado e foi informado que ” A Companhia de Melhoramentos e Desenvolvimento Urbano de Guarapari – CODEG em parceria com a Secretaria Municipal de Obras realiza a limpeza e capina no local periodicamente, uma vez ao mês. As ações de limpeza na região foram iniciadas na semana passada e já estão sendo retomadas esta semana para conclusão.

O Centro de Controle de Zoonoses esclarece que o local é visitado e monitorado a cada 15 dias, sendo tratado com larvicida. Ainda, o veículo fumacê passa pelos bairros a cada 30 dias.

De acordo com ela, o que o carro fumacê não passa na região. Foto Arquivo Pessoal

Vale ressaltar que estamos em período de grande proliferação do cúlex, (mosquito comum), e em época de chuva e sol há um aumento no número de criadouros. Assim, a diminuição da infestação de mosquito comum só se dará com ações integradas, entre o poder público e população, evitando que inservíveis possam acumular água.

Através da Secretaria de Obras do município, já há previsão para obras na região.  A Prefeitura já realiza os trâmites necessários para abertura de processo licitatório para melhorias, de modo a solucionar em definitivo à situação. Entretanto, também é importante que os moradores não realizem o lançamento de esgoto no local”.

Deixe seu comentário

Comments are closed.