Após 12 anos sem ter uma referência capixaba estampada em emissões postais da Empresa Brasileira de Correios e Telégrafos (ECT), o Espírito Santo passa a contar com o Selo Moqueca Capixaba, lançado durante a reunião extraordinária da Comissão de Turismo e Desporto da última quinta-feira (24), no Plenário Dirceu Cardoso.

As peças, que terão produção permanente e circulação nacional, fazem parte da série “Américas: Comidas Típicas Brasileiras”, composta por 20 selos representando, cada um, pratos tradicionais de todas as regiões brasileiras.

Entrega do Troféu Ilha da Escalvada a Nhozinho Matos: Foto Tati Beling

A iniciativa faz parte de um trabalho anual conjunto entre as empresas do setor dos países membros da União Postal das Américas, Espanha e Portugal (UPAEP) que, anualmente, realizam uma emissão postal com tema em comum.

Neste ano, o tema proposto foi comidas típicas e teve a participação dos funcionários dos Correios do Brasil que, atualmente, contam com 1.900 colaboradores no Espírito Santo.
Foram selecionadas 20 sugestões que representam uma pequena amostra do universo histórico-cultural da gastronomia brasileira. A última vez que a cultura capixaba estampou produtos oficiais dos Correios foi em 2007, com a série de três selos “Passos de Anchieta”.

“Cada ilustração representa uma região que tem saber próprio e pode contar um pouco de sua história. E nada melhor que o prato mais representativo do Espírito Santo para homenagear a nossa cultura”, disse o superintendente dos Correios, Flávio Vieira César.

Lançamento do Selo Moqueca Capixaba na Comissão de Turismo / Foto: Tati Beling

Para marcar a solenidade, que contou com a presença de funcionários dos correios e representantes de órgãos ligados ao turismo capixaba, foram entregues a peça filatélica simbólica e o álbum especial filatélico aos deputados Carlos Von (Avante) e Torino Marques (PSL), presidente e vice-presidente do colegiado, respectivamente.

Gastronomia. Carlos Von ressaltou a importância de valorizar a gastronomia capixaba a fim de fomentar a economia através do turismo. “O Espírito Santo é conhecido não apenas pela beleza das praias, mas pela gastronomia, que tem na moqueca sua maior representatividade. Vir ao Espírito Santo e não comer a moqueca capixaba é como ir à Roma e não ver o Papa”, declarou.
Homenagem

Na ocasião, também foi entregue o Troféu Ilha Escalvada ao empresário Nhozinho Matos, proprietário do tradicional restaurante Gaeta em Guarapari. “Há 53 anos eu sirvo a moqueca capixaba no meu restaurante e é o prato que identifica a nossa culinária. Tem que ser reverenciado”, afirmou.

Fonte: Assembleia – Por Silvia Magna

Deixe seu comentário