A cidade de Guarapari passou por graves problemas de saúde no ano de 2013. Na época, em um curto espaço de tempo, sete bebês morreram na antiga maternidade do Hospital São Judas Tadeu. (Reveja aqui). O hospital chegou a ficar fechado e com essa crise na saúde, as grávidas de Guarapari tiveram que dar a luz em outras cidades da nossa região.

Passado todo este tempo, uma nova maternidade surgiu no lugar da Unidade de  Pronto Atendimento Infantil (UPAI), através de uma parceria da prefeitura com o Estado. Assim, os bebês voltaram a nascer na cidade. Mas, mesmo com essa melhora na saúde, um caso chamou atenção do Portal 27.

PaulaParto
Paula foi ter a filha Luana dentro de casa, mais precisamente no banheiro. A bebê está com 42 dias de vida. Foto: Wilcler Lopes

Paula Celes Charchar, que já tinha uma filha (Laura) e engravidou novamente, decidiu ter a segunda  filha de uma forma diferente, de uma forma “humanizada”, segundo ela. “Tinha certeza de que eu conseguiria parir novamente, porém estava determinada de que da próxima vez seria do meu jeito”, explicou.

Paula queria ter o segundo filho em casa, com todo o apoio de médicos especializados em parto humanizado. “Quando eu decidi contratar uma equipe e partir para o parto domiciliar assistido, eu já estava com 40 semanas, e não consegui data, por conta de agenda e festas de fim de ano”, diz.

Mas os planos não foram totalmente como ela queria. “Com quase 41 semanas visitei o hospital de Cariacica onde eu soube que atendem e apoiam o parto humanizado. Gostei muito e decidi ir para lá, meu esposo apoiou e ficou mais tranquilo. Esta decisão estava tomada, porém Deus já tinha um novo plano pra mim”, diz emocionada.

O que acontece é que Paula foi ter a filha (luana),  dentro de casa, mais precisamente no banheiro, contando apenas com a ajuda da irmã.  Este é, segundo ela, o primeiro registro de parto domiciliar em Guarapari. Tudo registrado em cartório.

Veja a entrevista, a hora do nascimento e conheça a história de Paula.

Deixe seu comentário