O comandante do 10º Batalhão da Polícia Militar (PM) de Guarapari, tenente-coronel Wellington Barbosa Pessanha, prestou esclarecimentos à CPI da Máfia dos Guinchos nesta segunda-feira (26), no Plenário Judith Leão Castello Ribeiro. Ele informou que existe convênio entre prefeitura e Departamento Estadual de Trânsito (Detran-ES) e quem faz a fiscalização do trânsito é a PM. Entretanto, não há convênio com o rotativo de Guarapari.

Outra informação dada pelo tenente-coronel é que o estacionamento rotativo não é prioridade da corporação. No entanto, está prevista no Código Brasileiro de Trânsito (CBT) ação da PM quando solicitada. “O agente fiscalizador do Detran é a PM. Se o agente do rotativo nos solicitar e disser: ‘esse veículo não pagou’. Nós temos que cumprir nosso dever. Caso contrário, a PM pode ser acusada de omissão”, esclareceu.

Enivaldo dos Anjos afirmou que PM não pode ser usada para “arrecadar para terceiros” Foto: Ellen Campanharo

Público e privado. “Nós não podemos permitir que uma instituição como a Polícia Militar seja usada para arrecadar para terceiros. Ganhar dinheiro”, disse o deputado Enivaldo do Anjos (PSD), presidente do colegiado. Ele entende que a área do rotativo não é de fiscalização da PM. “É um problema da empresa com o consumidor”, pontuou.

“Não existe efetivo nosso destacado para multar no estacionamento rotativo”, reiterou o tenente-coronel, tampouco algum tipo de convênio sobre essa modalidade, acrescentou. Segundo disse, a PM tem de cobrir todo o município em todas as questões demandadas. “Chegamos em fevereiro do ano passado e já encontramos a realidade do estacionamento rotativo, não tendo nada a ver com a Polícia Militar”.

A deputada Janete de Sá (PMN), relatora da CPI, concordou com o comandante e perguntou sobre a frequência com que a empresa ou a prefeitura acionavam a PM. “Durante todo o verão não tivemos demanda nenhuma nesse sentido. Nem tivemos demanda com a questão da remoção de veículo, até porque não temos guinchos ou veículo para fazer o serviço”, respondeu o tenente-coronel.

“Não existe efetivo nosso destacado para multar no estacionamento rotativo”, reiterou o tenente-coronel”

O comandante se comprometeu a enviar à CPI as estatísticas sobre todos os tipos de multas de trânsito ocorridas sob sua gestão e, caso esteja disponível, do período anterior.

Ausências. Não compareceram à reunião os convocados para prestar esclarecimentos aos deputados a titular da Secretaria Municipal de Fiscalização (Semfis) de Guarapari, Claudia Martins Silva, e o representante da concessionária responsável pelo rotativo, Vista Group Network Sistemas e Empreendimentos (VGN), Ricardo Silva Martins.

Por: Aldo Aldesco – Fonte

Comments are closed.