O irmão da adolescente Diana Maria de Jesus, de 15 anos, que sumiu em Vila Velha e foi encontrada morta em Guarapari, procurou a produção do Programa ES no Ar, da TV Vitória/ Record, desta terça-feira (27) e durante uma entrevista Jhonata Viana de Jesus fez uma denúncia.Segundo ele, a irmã sumiu após encontrar com o namorado e horas depois foi encontrada morta, com 13 tiros.

execucao_familia_culpa_namorado_por_morte_de_adole__d982ff7b70
Adolescente Diana Maria de Jesus, de 15 anos, que sumiu em Vila Velha e foi encontrada morta em Guarapari

“A minha irmã foi vista pela última vez no bairro da Glória, em Vila Velha, quando o namorado dela passou e pegou ela de carro e levou ela para ser assassinada, levou minha irmã para ser torturada e ser executada. A polícia não quer divulgar nenhuma informação do caso, mas, nós queremos justiça e iremos até o fim. Minha irmã não era uma pessoa que ficava a toa dentro de casa, ela estudava e tinha sonhos. Ela não será mais uma vítima da violência contra a mulher no Estado sem resposta. Buscaremos resposta aonde for preciso, doa a quem doer, queremos respostas. A minha irmã foi executada com 13 tiros, isso é covardia, isso é crueldade e nós queremos resposta e ajuda da TV Vitória para esse crime não passar impune.”

“Queremos a ajuda para comover a sociedade, por que isso não pode ficar assim. Podia ser a filha do Governador, do secretário de segurança. Se fosse filha deles, a Polícia Civil não estaria querendo ocultar, por que ela não quer dar informação nenhuma e isso está muito esquisito”, desabafa.

Jhonata afirma que há uma semana sua irmã foi obrigada a esconder uma arma do namorado em casa e a família descobriu e isso é mais um indício de que ele é o culpado.

“Há uma semana o namorado dela a obrigou a guardar uma submetralhadora dentro da minha casa e acabamos descobrindo isso e ele foi a última pessoa a ser vista com ela no carro. Três testemunhas a viram entrando no carro dele e ele desapareceu com a minha irmã e duas horas depois ela já foi encontrada morta pela polícia em Guarapari. Tudo indica que seja ele.”

“Ele tem passagem pela polícia e a própria Polícia Civil não quer divulgar o nome dele, mas temos certeza que foi ele. Ele a obrigou a guardar uma submetralhadora dentro de casa e ele tem mandado de prisão em aberto, por que a polícia nos falou isso e disse que ele é uma pessoa perigosa, mas não estão querendo divulgar a imagem dele na televisão e não sabemos o porquê, mas queremos que esse crime não fique impune. Queremos que a polícia divulgue o nome dele, divulgue o retrato falado para ele ser considerado um procurado. É por isso que o Espírito Santo hoje ocupa o segundo lugar no ranking de assassinato de mulher, por que o crime acontece e fica por isso mesmo. A lei tem que mudar, essa justiça tem que mudar e minha família vai buscar apoio, recurso onde estiver que buscar para não ter mais um crime sem resposta no Estado”, afirma.

Ele salienta que o namorado da irmã não apareceu no velório dela e que a polícia não tem pistas e não entende por que não querem divulgar o nome dele.

“Ele não compareceu ao velório, sumiu, desapareceu e a polícia não sabe, não tem pista, não tem provas, não sabe de nada, mas tudo indica que é ele. Já prestamos depoimento, a polícia afirmou pra nós que vai fazer o trabalho dela e não quer divulgar informação. Quem que ela está querendo esconder? Estamos pedindo para a TV Vitória não deixar isso passar em branco. A minha irmã não será mais uma vítima de um crime sem resposta.”

“Procurar a justiça todo mundo tem que procurar e a minha família não teme retaliações, o que queremos é justiça. A polícia terá que investigar esse crime, morra quem tiver que morrer, doa a quem tiver que doer, esse crime terá que ser solucionado.”

Fonte: Folha Vitória

Deixe seu comentário