O pequeno João Emanuel Coslop Camporez, um estudante de apenas 10 anos da cidade de Vila Velha, foi um dos principais homenageados do Governo Federal durante a Semana Nacional de Ciência, Tecnologia e Inovação, realizada em Brasília (DF). O aluno canela-verde recebeu a medalha do programa Caça Asteroides, promovido pelo Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação, em reconhecimento à sua notável conquista: ele identificou um asteroide.

O estudante, que atualmente cursa o 5º ano no Sesc de Vila Velha, já é conhecido por sua participação destacada em olimpíadas científicas, tendo conquistado, em agosto deste ano, o International Star Kids Awards 2023, um reconhecimento mundial para crianças com habilidades excepcionais.

O estudante conquistou, em agosto, o International Star Kids Awards 2023, um reconhecimento mundial para crianças com habilidades excepcionais.

Orgulho. O prefeito de Vila Velha, Arnaldinho Borgo, expressou seu orgulho pela realização do jovem. “Vila Velha é uma cidade plural, um berço de talentos em diversas áreas. Nossas crianças são muito participativas, curiosas, experimentais, críticas e criativas. E João Emanuel é prova disso. É um exemplo do potencial ilimitado das nossas crianças e sua excelente formação estudantil reflete toda a qualidade do ensino do Sesc, uma instituição que desperta nos alunos o verdadeiro prazer de aprender. E toda a sociedade vilavelhense se une para celebrar esta conquista extraordinária de João Emanuel. Uma conquista que eleva o nome da nossa cidade em destaque nacional e internacional”, ressaltou o prefeito.

Conquistas. João Emanuel já acumula mais de 15 premiações nacionais e internacionais, incluindo medalhas de ouro no OBA Astronomia 2023 e no Celestia de Astronomia 2023; medalhas de prata no Canguru 2023 e no Copernius Matemática Internacional 2023; medalha de bronze no Copernius Internacional Ciências 2023; e menção honrosa na OBFM Matemática Financeira 2023, entre outras.

O jovem prodígio não esconde sua alegria por ter recebido sua premiação durante a Semana Nacional de Ciência, Tecnologia e Inovação, onde teve a oportunidade de conhecer o astronauta brasileiro Marcos Pontes, o primeiro profissional brasileiro a ir ao espaço, em 2006. O estudante compartilhou suas ambições futuras, afirmando: “Quero ser engenheiro aeroespacial. Vou construir satélites para desvendar os segredos do universo, que é enorme e muito misterioso”.