Faço um convite ao jovem leitor: Me leia. Não me deixe morrer”. Esta frase da Imortal escritora Lygia Fagundes Telles já é por si um resumo antecipado de tudo que você vai ler nos próximos parágrafos – Um apelo, uma rendição à leitura.

Não é de hoje, tampouco de ontem, e sim de SEMPRE, que incentivar o hábito da leitura seja tarefa fácil. Aos poucos parece que o apelo da Lygia vai ressoando como voz muda – a literatura dos grandes gênios cada vez mais vai se apagando como luz no fim do túnel.

Tudo seria ainda mais triste se não houvesse Guerreiras como Ravena Brazil Vinter e Cláudia Rodrigues, Professoras da EEEFM Angélica Paixão em Guarapari- ES,  idealizadoras do projeto LITERATURA: Leitura, imagem e representação, que a cada edição se fortalece como Ulisses na Odisséia de Homero. A elas, nesta aventura apaixonante, se juntaram as professoras Nalva Galasi e Claudia Leal – pronto, agora temos o quarteto mágico, cuja missão é inovar nas abordagens com os educandos. Todo o projeto culmina com a exibição de curtas-metragens. 

Visando incentivar a criatividade e inserir elementos não ortodoxos na percepção e leitura de diversas obras, o Quarteto Mágico convidou o Artista Multimídia Marcelo Moryan para ministrar uma palestra com o tema CRIATIVIDADE E FOTOGRAFIA. A primeira aconteceu dia 15 de junho no auditório da Faculdade Pitágoras em Guarapari, a segunda será no próximo dia 25.

Dentre os vários assuntos abordados a grande pergunta era: A Criatividade é nata ou todos somos criativos e podemos ser “despertos”? Para Marcelo a resposta é: “Todos somos criativos, a CRIATIVIDADE é a base da Inteligência Intuitiva… e todos, é claro, temos intuição. O que nos impede de  termos o substrato condizente com as nossas ideias é a nossa preguiça mental. Cotidianamente somos estimulados à preguiça – Queremos o imediato, até o amor deixou de ser uma conquista, afinal amar requer um trabalho de reflexão, por vezes extenuante.”

Marcelo Moryan que também é escritor indaga: “Você já tentou ler Cem Anos de Solidão? Eu tentei quatro vezes e só na quarta AMEI, como amo tudo do Gabriel Garcia Marques… Mas foi preciso um esforço gigante para vencer a tal preguiça mental… e vamos combinar, não existe nada mais criativo do que o Realismo Fantástico de Gabo (como Gabriel era conhecido pelos íntimos)”.

Além de questionar e estimular os alunos à criatividade, a palestra abre alguns “flashes” do mundo da fotografia e apresenta algumas fotos do artista para leitura.

Para a Professora Ravena Brazil “ainda é utópico pensarmos que todos os alunos leem ou encaram a leitura como uma ação política, no entanto o nosso projeto desperta o gosto pela leitura e escrita, movimenta a comunidade escolar e a cada resultado, exibição de trabalhos, temos a constatação de que a Educação Literária desenvolvida no decorrer do ano letivo faz a diferença na vida dos nossos educandos”.       

O projeto segundo a Professora Claudia Rorigues “é um Grandioso trabalho que reúne: escrita, parceria, criatividade, produção, reescrita, conhecimento, motivação, companheirismo, superação e interação entre as áreas de conhecimento”.

Durante a palestra vimos vários jovens encontrarem ecos marcantes nas palavras de Marcelo, como foi o caso do jovem de 17 anos Jair Lebrego que fez questão de anotar frases que fizeram a diferença para ele: “O óbvio pode ser arte” / O que sabemos morre todos os dias. Reinvente-se sempre”.

“Através de depoimentos dos adolescentes envolvidos percebemos que os mesmos se surpreendem com a riqueza do produto final: o curta; e reconheceram o projeto como uma grande oportunidade de se aproximar desse mundo fílmico.  Pode-se perceber que uma semente é lançada em todas as edições e sempre dá frutos positivos para o ambiente escolar”, este é o pensamento da Professora Claudia Leal, pelo que complementa a Professora Nalva Galasi: “Hoje os adolescentes  vivem tão  focados nas novas tecnologias,  que  esquecem de sentir  o prazer de uma leitura.  Por isso  o projeto  vem como ponto positivo e traz para  todos o hábito  da leitura. “

Nós do Portal 27 só podemos agradecer por PROFESSORAS como estas ainda existirem – é com pessoas como elas que estão as esperanças de um mundo melhor!