Após sete anos do início das obras, a APAE de Guarapari vai mudar de endereço nesta quinta-feira (30). A nova sede é própria e está localizada na antiga rua Morena Assef, no Itapebussu, e será inaugurada no dia 11 de dezembro.

A nova sede ficou em obras durante sete anos e no dia 11 de dezembro será inaugurada. Foto: Rafaela Patrício

Segundo a gerente administrativa Flávia Baioco, na na nova sede os alunos serão melhor acomodados porque a estrutura é bem maior. “Nossa sede tem dois andares. O primeiro fica localizada a área administrativa, recepção e consultórios de fisioterapia e fonoaudiologia. Temos uma sala para neurologista e psicólogo e a sala da assistente social. Nele também fica a cozinha e área de serviço. Em cima temos três salas de aula, uma de informática, um auditório e uma sala bem grande de oficinas de arte”.

Flávia ressaltou que na nova sede haverá equipamentos adequados para cada tipo de consultório médico. “A estrutura de clínica vai ter tudo certinho. Inclusive, os equipamentos que foram doados pelo Lions Club e instalados nos consultórios”.

A gerente administrativa explicou que atualmente a APAE funciona em uma sede alugada e o aluguel é pago com um convênio da prefeitura, que é específico para isso. Ela relatou que se a administração municipal autorizar, vai usar essa verba para investir na saúde.

A nova sede tem dois andares, sendo que a área administrativa e consultórios ficam no térreo e as salas no segundo piso. Foto: Arquivo Pessoal

“Depende da legislação. Não posso falar que está na mão deles, mas se pudermos usar esse recurso para outras despesas vamos investir na área da saúde porque só temos uma fisioterapeuta e uma fonoaudióloga e uma assistente social que pagamos com recurso da instituição. Contrataríamos um neurologista, psicólogo e terapeuta ocupacional que não temos. A equipe mínima é um fisioterapeuta, um fonoaudiólogo, um assistente social, um psicólogo, um terapeuta ocupacional e um neurologista, nem que ele faça atendimento duas vezes no mês”.

Atualmente a APAE tem 97 alunos, mas Flávia acredita que na nova sede mais pessoas poderão ser atendidas. “Com certeza poderemos atender até três vezes mais o número de alunos que temos. Hoje não temos estrutura nem os atendimentos para oferecer que é essa equipe mínima. Mas a partir do momento em que temos uma sede própria poderemos firmar convênios com o governo. Muita coisa a gente não consegue fazer porque não tínhamos uma sede própria”.

O local conta com uma rampa para facilitar a locomoção dos alunos e futuramente deve ter um elevador. Foto: Arquivo Pessoal

Ela afirmou que a instituição pretende fazer ampliar sua estrutura no futuro. “Por enquanto vamos inaugurar o prédio com as instalações e rampa tudo de acordo com as normas do Corpo de Bombeiros. Futuramente vamos fazer uma quadra e a parte da piscina. Lá tem a rampa e também pensamos no futuro colocar um elevador. Já fizemos até o levantamento do preço porque os alunos vão estar em cima e temos muitos com dificuldades de locomoção”.

“A expectativa é grande. São sete anos correndo atrás de tudo. Nunca tivemos apoio financeiro. Mas, tivemos ajuda como a doação de equipamentos e materiais de construção, que foram ajudas significativas e somos muito gratos a todos que colaboraram”, disse Flávia.