O destino era o principal ponto de ônibus do centro de Guarapari para aguardar um coletivo que passasse próximo da maternidade da cidade. Mas o tempo foi passando, o ônibus não chegava, e as contrações da jovem Luana Batista de Jesus, de 26 anos, só aumentavam. 

No ponto de ônibus, um estudante de enfermagem também estava a espera de um coletivo. Vendo de perto as dores da mãe, ele resolveu ajudar. Luana se deitou no chão e apoiou a cabeça no colo do marido, o vigilante de carros Milton Henrique Correa. Foi neste momento que Luana deu à luz. 

O rapaz colocou a criança no colo da mãe, enrolou na manta que ela carregava na bolsa e ali ficaram aguardando a chegada da ambulância, que levou mais de 30 minutos. 

Mãe e filha foram levadas para o Hospital Francisco de Assis (HFA). As duas passam bem, e o hospital informou que elas passam bem e recebendo, desde a entrada no hospital, todo atendimento necessário, tanto da equipe de ginecologia e obstetrícia, quanto da pediátrica.

De acordo com o médico ginecologista e obstetra da instituição, Dr. Marco Nascimento, a previsão é de alta em até 48 horas. “A bebê foi encaminhado à pediatria, enquanto a mãe passou pelos procedimentos de pós-parto. Ambas seguem os protocolos de todos os partos que acontecem aqui”. Estima-se que a menina tenha vindo ao mundo por volta das 5h40, ela recebeu o nome Bruna e nasceu com 49,5cm, pesando 3,475kg.

O parto no ponto de ônibus:

Deixe seu comentário

Comments are closed.