O Governo do Estado, por meio da Secretaria de Estado da Educação (Sedu), anunciou na tarde desta quarta-feira (20), o pagamento do Bônus Desempenho para professores e servidores da Educação. O investimento será de aproximadamente R$ 30 milhões e vai contemplar 20.602 mil profissionais em todo o Estado.

Conforme estabelecido no Decreto nº 3949-R, a Bonificação por Desempenho deverá ser paga anualmente, de acordo com a disponibilidade orçamentária. Neste ano, o pagamento será efetuado em duas parcelas previstas para primeira quinzena de agosto e primeira quinzena de outubro. Esse ano o valor pago pode chegar a R$ 7 mil, já que quem trabalha em duas unidades receberá por ambas.

professor
Esse ano o valor pago pode chegar a R$ 7 mil, já que quem trabalha em duas unidades receberá por ambas.

“O ano de 2015 foi um ano de muita austeridade, não somente no Espírito Santo, mas em todo o Brasil. Estamos passando por tempos difíceis, a crise que estamos vivenciando é uma das piores da história do país. No Espírito Santo o quadro é de alerta máximo, mas continuaremos com os esforços para manter o dever de casa”, ressaltou o secretário de Estado da Educação, Haroldo Rocha.

O Bônus Desempenho é um prêmio em dinheiro concedido anualmente aos profissionais que atuam em escolas e outras unidades da Sedu, calculado com base em indicadores coletivos e individuais. O profissional da Secretaria pode receber até um salário a mais por ano, conforme os resultados apurados pela unidade de ensino onde exerce suas funções, mais o seu desempenho individual.

Cálculo. Para o indicador coletivo, é estabelecido o Índice de Merecimento da Unidade (IMU). Trata-se de um percentual obtido a partir do Índice de Desenvolvimento das Escolas (IDE), que reúne o desempenho dos alunos no Programa de Avaliação da Educação Básica do Espírito Santo (Paebes), o nível socioeconômico da família onde está situada a escola e o nível de ensino de seus estudantes.

Já o indicador individual observa o quanto o profissional contribuiu para o resultado da escola por meio de sua frequência. Para ter direito ao Bônus, o profissional precisa ter cumprido pelo menos 2/3 do período de avaliação, compreendido entre 1º de maio e 31 de outubro do ano anterior ao pagamento. Nesse indicador, a assiduidade também é valorizada e, por essa razão, são aplicados 7% de desconto do valor do bônus para cada dia de registro de ausência. Acima de nove ausências, os profissionais recebem o piso (30% do valor a que teriam direito).

Deixe seu comentário