Uma aventura no mundo do crime acabou mal para dois capixabas  na manhã da última terça-feira (01), em Coronel Sapucaia, no Mato Grosso do Sul. Filipe de Melo Canholato de 30 anos e Eryckson Catani da Silva, 25, foram abordados na Rodovia MS 289, próximo a aldeia indígena Taquapery. Os dois estavam em um carro com placas de Guarapari.

Após a vistoria no interior do veículo modelo Celta OYG-3759, os PMs encontraram 317 quilos de maconha que estavam divididos em 52 tabletes no porta malas. Filipe mora em Guarapari e Eryckson é de Alfredo Chaves.

Os detidos foram contratados no último sábado (26) para levar o entorpecente para Vitória (ES).
Os detidos foram contratados no último sábado (26) para levar o entorpecente para Vitória (ES).

Os suspeitos ainda informaram aos militares que foram contratados por um indivíduo chamado “Terror” para serem “batedores”, ou seja, apenas acompanhar um carregamento de droga, que sairia de Coronel Sapucaia com destino a Vitória e receberiam R$ 46 mil pelo trabalho, mas quando chegaram ao local combinado, encontraram o automóvel carregado de maconha e resolveram seguir viagem.

53b2e7b0ef13fd9d4440941dae000746f77f9e73f14e1_celta-2- Felipe e Eryckson foram encaminhados, juntamente com a droga e o automóvel, para a Delegacia de Polícia do município.

Nossa equipe de reportagem recebeu informações de que os detidos trabalharam como agentes de controle interno de uma Unidade Prisional do ES. Filipe presta serviços para o Instituto Nacional de Administração Prisional (INAP), o Eryckson é ex funcionário do mesmo órgão. Desde a data de ontem, tentamos informações da da Secretaria do Estado da Justiça, mas até o fechamento dessa matéria, não tivemos nenhuma resposta.

SEJUS responde.

A Sejus informou que Felipe de Melo Canholato e Eryckson Catani da Silva atuaram no CDP de Guarapari como agentes de controle. Os dois não são servidores da Sejus. Foram contratados pela empresa que administra a unidade prisional, em sistema de cogestão com a Sejus. A secretaria acrescenta que Eryckson Catani da Silva não atua na unidade desde 28/03/2014, quando foi demitido. Já Felipe de Melo Canholato abandonou o emprego desde o dia 25/06/2014 e seu desligamento da empresa já foi solicitado pela Sejus.

Com informações: 3ª Companhia Independente de Polícia Militar Ambiental do Mato Grosso do Sul – CIPMA.