Uma casa de luxo em Meaípe, Guarapari, servia como base de uma organização criminosa para venda de drogas sintéticas. Sete pessoas foram detidas após três operações, de janeiro a abril, e um suspeito ainda está foragido. Foram apreendidos 11 mil comprimidos de ecstasy e outros entorpecentes.

O trabalho que desmontou a quadrilha foi realizado pela Polícia Civil, através do Departamento Especializado de Narcóticos (Denarc). Os policiais atuaram nos bairros Bento Ferreira e Jardim Camburi, em Vitória, Jardim Colorado, em Vila Velha e Meaípe, em Guarapari.

Operação Sintéticos. Ao todo, foram apreendidos 11 mil comprimidos de ecstasy, 7.990 micropontos de LSD, 1.140 pontos de NBOM-e (droga alucinógena similar ao LSD), 830 gramas de uma metanfetamina conhecida como “Cristal”, 462 comprimidos de N-etilpentilona (novo tipo de droga sintética).

Rafael Rodrigues Marinho, de 28 anos, conhecido como Rato, é apontado pelo Denarc como o chefe da organização criminosa. Ele foi detido no último dia 5, na base da organização em Guarapari.

Com a prisão de Rafael, a polícia conseguiu montar o cronograma da organização. No topo, Rafael recrutava pessoas para o grupo, fazia a contabilidade das vendas e criava consórcio de drogas sintéticas, segundo as investigações.

O motorista de aplicativo Renan Alvarenga foi detido no dia 20 de março em Jardim Camburi. Na casa dele, haviam malas com drogas. Ele trabalhava em um food truck de Rafael Marinho, que funcionava em Jardim Camburi.

Já Renan Ucceli dos Santos, de 22 anos, foi preso no dia 21 de janeiro. Ele seria um dos braços do grupo. De acordo com a Denarc, Ucelli escondia as drogas em latas de doces da Holanda. Lucas Dias Miranda, 28, Hugo Henrique dos Santos, 26, e Alessia Ayalla da Silva Bocklau, 20, foram detidos no dia 22 de fevereiro. Eles recebiam drogas vindas do Paraná, via Correios.

Em fevereiro, três pessoas foram detidas. Com Erick Souza, de 25 anos, os policiais encontraram droga sintética dentro de um dos tênis. Diego Renato Gravel, 21, e Pedro Leonardo Nascimento, 22, também foram detidos.

Um suspeito está foragido. Renan Luiz de Oliveira Castro, de 29 anos, teve a prisão preventiva decretada pela Justiça no dia 2 de abril. Os policiais chegaram a ir ao condomínio onde ele mora, em Bento Ferreira, na mesma data. Foram encontradas drogas sintéticas escondidas dentro da churrasqueira do prédio.

 



Deixe seu comentário

Comments are closed.