579996_519735931396434_1701118428_n
Mesa da audiência Foto: Otilia Piumbini

Fogo na audiência 

A realização da interminável Audiência Pública da Saúde – durou quase quatro horas e meia – no último dia 21, no Plenário da Câmara Municipal de Guarapari, ferveu. A sensação era de que tudo havia se transformado numa fogueira das vaidades. E todos queriam capitalizar politicamente em cima de uma discussão que deveria ser imparcial e séria.

562156_519735391396488_1292453389_n
Germano Borges Foto: Otilia Piumbini

O incontrolável Germano 

O vereador Germano Borges, do PSB, já deu mostras de que manterá o mesmo estilo de galhofa que o marcou num programa de rádio local e na também quando apresentava o quadro Repórter nos Bairros, da TV Guarapari. Relator da Comissão Permanente da Saúde da Câmara, Germano visitava a UPA do Ipiranga com a comissão, mas ao foi barrado tratou de invadir a unidade onde tirou fotos, entrevistou um médico e ainda colocou o áudio da conversa na rádio.

Aurelice Vieira
Aurelice Vieira Foto: Otilia Piumbini

Secretária à beira de um ataque de nervos

A atitude do vereador foi motivo de represália da secretária da saúde, Aurelice Vieira, durante a audiência. Transtornada, a secretária, questionou o parlamentar: “Como o senhor pode divulgar na rádio a entrevista com um médico da UPA? Por acaso, Germano você esqueceu que estava na condição de relator, como membro da comissão? O senhor não poderia ter feito isso”. O vereador pediu a palavra e disse que a conversa só foi divulgada porque o médio autorizou.

Promotor inquieto
Promotor inquieto Foto: Otilia Piumbini

O promotor

 A cadeira onde o promotor Otávio Guimarães estava sentado parecia estar tomada por formigas Saúva. A cada discurso que ele não concordava saia do plenário e ia ao banheiro da sala de reuniões dos vereadores. Depois voltava bufando. Um funcionário da Casa de Leis contou dez saídas do promotor, depois cansou e parou de contar…

Promotor - Foto: Otilia Piumbini
Promotor

Farpas

Aliás, o promotor não economizou artilharia pra cima da gestão do ex-prefeito Edson Magalhães, a quem chamou de omisso e irresponsável. Fulminou a atual secretária de saúde ao lembrar que ela fazia parte da gestão anterior “Eu não consigo acreditar que a senhora tenha ficado espantada com a situação encontrada na saúde pública da cidade. Secretária, a senhora fez parte da gestão anterior. É quase impossível que não tivesse conhecimento do caos nos postos e unidades de saúde de Guarapari. Em 2008, MP/ES entrou com ação contra o município para que uma senhora pudesse realizar uma cirurgia, e até hoje ela aguarda o procedimento cirúrgico”. Restou a secretária fazer cara de paisagem.

 

Vereador Manoel.
Vereador Manoel. Foto: Otilia Piumbini

Manoel da Kí-Alegria

O alívio cômico ficou a cargo do vereador Manoel Couto, que ao discursar sobre a situação da saúde pública lembrou-se de um caso acontecido na cidade “Uma conhecida minha, ao tentar atravessar a praça da Itapemirim, teve a perna asmagada (sic) por um carro…”  Um gaiato no plenário lançou a pergunta: “Por acaso, asmagada é uma mistura de esmagada com amassada?”. Todo mundo passou a vez…

Orly cansado.
Orly cansado. Foto: Otilia Piumbini

Cansaço, já?

Com olheiras e barba por fazer, o prefeito Orly Gomes é era a imagem do cansaço. Um observador atento questionou: “Ué, mas ele só está a apenas 15 dias ocupando o cargo de prefeito! Como pode estar esgotado?”. Quem estava perto também preferiu passar a vez…

Conciliador.
orly conciliador. Foto: Otilia Piumbini

Conciliador

Ao discursar o novo prefeito não lembrou em nada a empáfia e arrogância características de Edson Magalhães. Orly não se deixou abater por críticas disparadas na audiência por representantes de sindicatos, entidades e, principalmente, do promotor de justiça. Admitiu os erros cometidos na gestão anterior. E teve humildade de pedir o apoio e a colaboração da Câmara, do MP, entidades e população para ajudá-lo a administrar a cidade. Pode não ter convencido a todos os presentes, mas transmitiu a necessidade de estabelecer diálogo com a sociedade.

vereadora Fernanda.
vereadora Fernanda. Foto: arquivo pessoal.

Cabeça quente

Na ocasião, a vereadora Fernanda Mazzelli parece ter se esquecido que não estava em um tatame de campeonato de jiu-jítsu. Ficou furiosa com o comentário de uma pessoa que estava no plenário. Ela estava decidida a esperar a audiência terminar para tirar satisfação com o linguarudo do lado de fora… Pensou melhor, e decidiu ir embora mais cedo.

Carlo Frederico Machado. Foto: Otilia Piumbini.
Carlo Frederico Machado. Foto: Otilia Piumbini.

Advogada do diabo

Ao tentar defender a direção do Hospital São Judas Tadeu, uma funcionária do centro médico recebeu uma sonora vaia da platéia. Um gaiato resumiu sem querer o episódio: “Quem mandou tentar defender o indefensável…”. Sentado numa cadeira, o diretor clínico do hospital, Carlo Frederico Machado, era o desconforto em pessoa.

Deixe seu comentário