O comerciante Luiz Carlos Delezare foi preso na tarde de ontem (16), dentro de sua loja no centro de Guarapari. Ele é acusado de comprar produtos roubados na cidade. 

A polícia chegou até Luizinho, como é conhecido na cidade, através de um menor que também foi preso na tarde de ontem, depois de uma abordagem policial na Praia da Areia Preta, no centro de Guarapari. O menor estava pilotando uma moto roubada e um relógio que foi reconhecido por uma de suas vítimas.

CAM02265[1]
A polícia chegou até Luiz, através de um menor que também foi preso na tarde de ontem.Foto reprodução TV Guarapari.

Ele foi conduzido ao DPJ da cidade onde prestou depoimento em que  afirmou gostar de roubar cordões de ouro e que já assaltava na cidade por  cerca de um mês. Ele roubava em várias regiões de Guarapari  como: Praia do Riacho, Centro, Peracanga e até dentro de ônibus.

Segundo os investigadores da Delegacia Patrimonial de Guarapari, Luiz foi indiciado por Receptação de produtos roubados e também por possuir arma de fogo em seu estabelecimento.

Ele foi autuado nos seguintes artigos: (Art. 180 – Adquirir, receber, transportar, conduzir ou ocultar, em proveito próprio ou alheio, coisa que sabe ser produto de crime, ou influi para que terceiro, de boa-fé, a adquira, receba ou oculte. A pena é a reclusão, de 1 (um) a 4 (quatro) anos, e multa) e posse ilegal de arma.

E também no  Art. 12. Possuir ou manter sob sua guarda arma de fogo, acessório ou munição, de uso permitido, em desacordo com determinação legal ou regulamentar, no interior de sua residência ou dependência desta, ou, ainda no seu local de trabalho, desde que seja o titular ou o responsável legal do estabelecimento ou empresa. A pena é de detenção, de 1 (um) a 3 (três) anos, e multa).

IMG-20140117-WA0003[1]
Material apreendido no comércio de Luizinho. Foto PC.

Cordão de 25 mil. Na última segunda-feira (13), um advogado de Minas Gerais teve seus pertences roubados por homem armado na Praia da Areia Preta. Segundo o advogado, o cordão era avaliado em R$25 mil reais, ainda segundo ele, o cordão havia um crucifixo que pesava 84 gramas e tinha 51 diamantes.

Em seu depoimento, o menor afirma que no mesmo dia do assalto, foi até o estabelecimento de Luizinho, vender o cordão. O adolescente afirmou que Luizinho comprava dele e de outro amigo, joias e produtos roubados. Ainda de acordo com ele, no dia do assalto, Luizinho se negou a comprar o cordão afirmando que não tinha o dinheiro à vista.

Após o menor confessar esse furto e mais oito assaltos, a polícia então pediu e o juiz logo expediu um mandado de busca e apreensão na relojoaria do Luizinho onde foram encontrados diversos tipos de joias e outros objetos como:  16 cordões, 9 pulseiras, 7 braceletes, 47 anéis, relógios e uma arma calibre 38.

Luiz Carlos foi preso, ouvido e conduzido ao Centro de Detenção Provisório de Guarapari. O menor foi encaminhado para a unidade de atendimento ao adolescente em conflito com a lei.

CAM02266[1]
Menor, Ricardo e Luizinho presos. Foto reprodução TV Guarapari.

Também foi preso na operação, Ricardo Lorencetti, cunhado do vereador e policial civil, Jorge Figueiredo.  Ele teria entrado na loja no momento que a civil estava prendendo Luizinho. A policia, fez uma busca na casa de Ricardo e encontrou uma arma.

Procuramos o vereador que explicou a situação. “Na verdade ele é amigo do Luizinho e quando viu a loja com a  porta abaixada, achou que se tratava de um assalto. Com a confusão, deram uma busca na casa dele e encontraram uma arma. Mas ele me explicou que comprou a arma depois que a casa dele foi assaltada “, explicou Jorge dizendo que Ricardo  pagou fiança e já está solto.

Deixe seu comentário